O delegado de polícia de Oriximiná, Edmílson Faro, prendeu o vigia Ailton Ferreira da Silva a pedido do presidente da Câmara Municipal, vereador Marcelo Andrade Sarubi (PSDB) e do vereador Márcio Canto (PTB) e, na presença de ambos e do…

Primeira do Brasil totalmente focada na educação para o trânsito, a biblioteca do Detran-PA foi criada em 1998 e começou direcionada ao público interno, funcionando no antigo prédio do órgão, ao lado da Ceasa. Em 1º de novembro de 1999,…

A Prefeitura de Belém vai revitalizar dezesseis imóveis do município que estão há anos em situação de abandono. Além do resgate do patrimônio histórico, artístico e cultural, a intenção é reduzir gastos com aluguéis de prédios que abrigam órgãos municipais.…

A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

GASTRONOMIA TÍPICA É ATRAÇÃO À PARTE NA REGIÃO

A culinária paraense é plena de pratos saborosos, com temperos de dar água na boca. A maioria tem origem indígena e uso de produtos genuínos da Amazônia. A base da alimentação é peixe, carne bovina, farinha de mandioca, frutos regionais, distribuídos em um cardápio peculiar, saboroso e excêntrico.
Dentre as mais variadas espécies encontradas na Amazônia, os peixes são um destaque imperdível. 
O pirarucu é o maior, o mais bonito e um dos mais deliciosos peixes de escamas da Amazônia, chegando a atingir mais de dois metros de comprimento e cem quilos de peso. As escamas são grandes e resistentes, de cor cinza claro ao longo do corpo e castanho – avermelhado na cauda. A língua óssea e áspera e o corpo roliço são características próprias. Tem respiração aérea obrigatória, isto é, precisa subir regularmente à superfície para tomar o oxigênio do ar, a cada dez ou quinze minutos no caso de adultos, sendo que os bodecos, como são conhecidos na região os pirarucus mais jovens, sobem para respirar em intervalos mais curtos. Este hábito é conhecido pelos pescadores e usado para capturá-lo com arpões.
Espécie muito apreciada como alimento, contudo em virtude de sua escassez, sua presença nos mercados é pequena, sendo inclusive proibida sua captura entre os meses de novembro e março. É comercializada em mantas, que é a carne, em forma de filé, que fica após a retirada da cabeça, das nadadeiras e da espinha dorsal, praticamente sem espinhas. Dois métodos de conservação são utilizados: o gelo e a salga, este último o principal.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

0 resposta em “GASTRONOMIA TÍPICA É ATRAÇÃO À PARTE NA REGIÃO”