Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Prefeito de Pirabas afastado por mais 90 dias

Baseado em provas juntadas pelo MPE-PA, como o relatório da 1ª Controladoria do TCM, documentos colhidos em busca e apreensão determinada pelo TJE-PA em ação criminal e em inquérito civil público do MP local, o juiz Charles Claudino Fernandes decidiu manter o prefeito de Pirabas, Luis Cláudio Barroso(PMDB), afastado do cargo por mais 90 dias, a indisponibilidade de seus bens e, ainda, a quebra dos sigilos bancário e fiscal.  

Em 14 laudas, o magistrado desfia um novelo de irregularidades em processos licitatórios, ausência de repasses ao INSS, de recolhimento de consignados, cheques sem fundos, favorecimento de empresas e notas fiscais frias, dentre outros fortes indícios de desvio de dinheiro público desde 2009, quando Cláudio Barroso assumiu o primeiro mandato. As fraudes em processos envolvendo a empresa de contabilidade e o contador da Prefeitura, Mariano Fonseca Roza, alcançam mais de R$1 milhão. O prefeito afastado responde várias ações de improbidade administrativa, o que reforçou a necessidade do seu afastamento para a apuração, já que processos licitatórios não foram localizados na Prefeitura nem no TCM e poderiam ser “fabricados” com o retorno do gestor ao cargo. 

Eis a conclusão da sentença na Ação Cautelar movida pela Promotoria de Justiça de Pirabas: 

Ante o exposto, rejeito a preliminar e, presentes o perigo da demora e a fumaça o bom direito, julgo totalmente procedente o pedido para: 
a) Ratificando a liminar, mas estendendo-a, decretar o afastamento de LUIS CLÁUDIO TEIXEIRA BARROSO do cargo de prefeito do Município de São João de Pirabas e MARIANO FONSECA DA ROZA do cargo de contador da Prefeitura Municipal de São João de Pirabas pelo prazo de 180 dias; 
b)Ratificando a liminar, decretar a indisponibilidade dos bens de LUIS CLÁUDIO TEIXEIRA BARROSO, MARIANO FONSECA DE ROZA E M.J.L – REPRESENTAÇÕES, IMOBILIÁRIA, ASSESSORIA E PLANEJAMENTO CONTÁBIL LTDA até o valor de R$ 1.325.900,00; 
c)decretar a quebra do sigilo fiscal e bancário de Luis Cláudio Teixeira Barroso, Mariano Fonseca de Roza e M.J.L. – Representações, imobiliária, Assessoria e Planejamento Contábil LTDA; 
d)O cumprimento da decisão já ocorreu em conformidade com as determinações contidas na decisão concessiva da liminar, devendo apenas haver, mediante ofício, comunicação ao Vice-Prefeito que o afastamento de LUIS CLÁUDIO TEIXEIRA BARROSO é por 180 dias, além disso, deve ser cumprida, na forma regulamentar, quebra de sigilo bancário e fiscal. 

P.R.I.C.  Após o trânsito em julgado, arquive-se.

Santarém Novo -PA, 30 de abril de 2014

Charles Claudino Fernandes
Juiz de Direito”

Leiam a íntegra da sentença – publicada ontem – aqui.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *