Os dirigentes do Sindicato e da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa festejaram o resultado da reunião de hoje com o presidente da Alepa, deputado Chicão, que também convidou para o encontro o Chefe de Gabinete da Presidência, Reginaldo Marques…

A Administração Superior do Ministério Público do Pará está empenhada em fortalecer a atuação dos promotores de justiça no arquipélago do Marajó, onde a situação de extrema pobreza, agravada pela pandemia, perpetua crimes gravíssimos como os abusos e exploração sexual…

“A Prefeitura de Belém, por meio da Comissão de Defesa Civil de Belém, informa que realizou vistoria técnica no bloco B do imóvel localizado na avenida Presidente Vargas, 762, no dia 11 de fevereiro, às 9h, em conjunto com representantes…

DEM e PSL ainda nem consumaram a fusão, prevista para outubro deste ano, mas a briga já é de foice. O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto duelam nos bastidores pelo comando do novo…

Uma Xerife no Senado

Convidada por cinco partidos para disputar às
eleições de 2014, a ministra do STJ e ex-corregedora do CNJ Eliana Calmon declarou
em entrevista ao Correio
Braziliense
estar disposta a se candidatar a uma vaga no Senado  pela
Bahia, sua terra natal e onde tem raízes familiares. Fiel ao seu estilo
polêmico, ela conta que analisa o cenário político no Estado para concorrer em
2014, lamenta a recusa do TSE à criação do partido de Marina Silva – a quem
atribui também “excesso de zelo” por ter escolhido a dedo quem poderia se filiar ao seu
grupo de sonháticos -, critica a
decisão do STF de possibilitar novo julgamento para réus do Mensalão e elogia a
postura firme da presidente Dilma Rousseff.
Por ser magistrada, ela tem até abril para se
filiar a um partido. Ainda não escolheu uma legenda, mas já elegeu o PT como
adversário. Diz estar preocupada com o oportunismo político-partidário, porque observa
que as agremiações não têm ideologia, nem plataforma política, muito menos
representatividade efetiva. 
Atribui aos movimentos de rua o interesse das
siglas que a convidaram. Acha que eles querem dar a impressão de que estão
sendo renovados e não estão com as “velhas
raposas”
. Mas não sabe até que ponto esses convites são efetivos. Revela
que o primeiro foi do PPS. Logo depois, o PSB. O PSDB também mandou emissário,
inclusive querem marcar um encontro entre ela e o senador Aécio Neves. O presidente
do DEM, senador José Agripino Maia, também a procurou. O PDT idem. O Cristovam Buarque
esteve com ela e chegou a dizer que a eleição em Brasília é muito mais fácil. Mas
o título dela é da Bahia e ela não quer trocar. Fala que, no Senado, sabe o que
fazer. “Não iria para lá ficar com a
cara de banjo, batendo papo sem fazer
nada
“, espeta.
A ministra avaliou as razões do atraso nos
julgamentos das ações por improbidade, em todo o País. E sintetizou: “Em primeiro lugar, as comarcas do interior
estão esfaceladas. Não existe funcionário, oficial de justiça. Temos encontrado
cartórios com dois funcionários, o que é um absurdo. Outra situação de
dificuldade, dita por um juiz: a casa em que ele mora é da prefeitura, as
instalações físicas do fórum são da prefeitura, os servidores são municipais,
cedidos pela prefeitura. Qual a independência que tem um juiz em sentenciar
contra esse prefeito ou um chefe político local? No outro dia, ele esvazia o
cartório, tira os funcionários.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *