O IV Distrito Naval da Marinha do Brasil, em parceria com o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Praticagem da Barra do Pará, Sociedade Amigos da Marinha Pará, Secretarias de Saúde de Barcarena e do Estado do Pará, Tribunal…

Guy Veloso, filho do saudoso jurista, notário e político Zeno Veloso, plantou em sua memória um pé de baobá na Universidade Federal do Pará, onde o ilustre parauara se destacou como professor de direito civil e direito constitucional, formando gerações…

Evellyn Vitória Souza Freitas nasceu no chão do banheiro do Hospital Municipal de Portel, município do arquipélago do Marajó (PA), no dia 28 de julho de 2021, por volta das 8h da manhã, prematura de 28 semanas e dois dias, pesando 1Kg e 39…

Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

Tonico Doido e parceiros presos pelo MP

O ex-prefeito de Pacajá, Antônio Mares Pereira, o Tonico Doido(PSB), foi preso hoje de manhã durante operação do Ministério Público do Estado do Pará, acusado de desvio de recursos públicos e formação de quadrilha. Sua esposa, Gesilda Pereira, ex-secretária municipal, Ronaldo Santos, ex-vice-prefeito, e o ex-secretário de educação, Alex Sandro Lima, também. O MPE-PA e a PM encontraram tantos documentos da prefeitura na residência de Tonico que o procurador Nelson Medrado, coordenador do Núcleo de Combate à Improbidade Administrativa do MPE-PA, que comandou a operação, ao lado do promotor de justiça Bruno Fernandes, precisou de duas picapes para devolver a papelada à Secretaria de Administração. 

Tonico Doido foi eleito em 2012 e deixou o cargo em dezembro do ano passado. Ele chegou a ser afastado pela Justiça em 2015, a pedido do MP, em razão de inúmeras denúncias de irregularidades.  

Em 16 de setembro de 2015, na condição de prefeito de Pacajá e representante do Consórcio Belo Monte, Tonico Doido – não me perguntem o porquê da alcunha – disparou esta, na tribuna da Assembleia Legislativa, durante sessão especial: “Eu não matei meu pai para ser prefeito mais quatro anos”, expressando sua repulsa à ideia da reeleição. 

Em 21 de junho do ano passado, a Operação “Camisa de Força”, do Núcleo de Combate à Improbidade Administrativa e Corrupção e Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPE-PA, cumpriu mandados de busca e apreensão em 23 alvos, entre eles a sede da Prefeitura de Pacajá, a casa do então prefeito, secretarias municipais (Transportes e Administração), residências e empresas. Promotores de Justiça, servidores e policiais militares foram em residências e escritórios de contabilidade, em Belém e Parauapebas. O nome foi escolhido porque o na época prefeito Antônio Mares Pereira é – adivinhem! – conhecido como “Tonico Doido”.

Desta vez o MP nem se deu ao trabalho de batizar a operação. O banner aí em cima foi da campanha eleitoral de Tonico, que antes de ser prefeito era vereador do PT e presidiu a Câmara Municipal de Pacajá.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *