Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Maravilha da natureza no Mangal

Borboleta Olho-de-coruja e seus ovos
Fotos: Geraldo Ramos
Vejam que maravilha da natureza. No Parque Zoobotânico Mangal das Garças, em Belém do Pará, espaço da Secult, está localizada a reserva José Márcio Ayres, assim denominada em homenagem ao brilhante cientista paraense, que se foi precocemente. Também o maior borboletário da América Latina, com 1.400 m², o lugar reproduz a floresta amazônica, com vegetação propícia para o habitat de várias espécies de animais, entre eles borboletas raras.
Do ovo à saída da pupa, o manejo da borboleta é feito internamente no criatório do Mangal. Todo o processo de reprodução das espécies Júlia (Dryas julia), Ponto-de-laranja (Anteus menippe) e Olho-de-coruja (Caligo ilioneus) é realizado pela equipe do parque.
O Mangal das Garças é o único Borboletário do Brasil que produz durante o ano inteiro a espécie Ponto-de-laranja. Além desta, em determinados períodos do ano, há a ocorrência das espécies sazonais Monarca (Danaus erippus), Fetusa (Dryadula phaetusa) e Ponto-de-prata (Agraulis venillae) e Borboleta-branção (Ascia monuste). O processo de metamorfose do ovo até a fase adulta dura, em média, um mês para ser concluído. No Borboletário, o ciclo de vida vai de um a três meses. 

Este é o caso da espécie Olho-de-coruja, que chega a viver três meses. Para a reprodução dela foi criado um espaço específico em anexo ao Borboletário, com acompanhamento diário. Típica da América do Sul, a Olho-de-coruja tem este nome pela semelhança com a coruja, por conta de dois ocelos claros sobre fundo escuro, que imitam perfeitamente os olhos da ave, usados para se proteger dos predadores. Vive em ambientes sombreados, áreas bosqueadas próximas a árvores frutíferas tais como jaqueiras, bananeiras e cupuaçuzeiros. Tem hábito crepuscular, com atividade no final do dia. Considerada a maior borboleta do Brasil, chega a alcançar até 25 cm de envergadura. 

Diariamente, cerca de 200 a 300 borboletas são soltas no Borboletário, o que resulta na criação de cerca de seis mil animais ao mês. A meta é realizar a soltura das quatro espécies, com picos de 600 borboletas ao dia. 

Detalhe: as folhagens e flores que servem de alimento às borboletas e lagartas do Borboletário são cultivadas por um grupo de seis internos da Colônia Penal Agrícola de Santa Isabel, unidade prisional de regime semiaberto. A ação faz parte do projeto “Transformando Vidas”, fruto de convênio que existe há oito anos entre a Organização Social Pará 2000, que administra o Mangal das Garças, e a Susipe. 

Anotem: os visitantes do parque podem conferir de perto a soltura das borboletas, de terça a domingo, às 10h e às 16h, na Reserva José Márcio Ayres. O bilhete para visitação do espaço custa R$ 4, com meia entrada para estudantes. Vão e levem as crianças.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *