Os dirigentes do Sindicato e da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa festejaram o resultado da reunião de hoje com o presidente da Alepa, deputado Chicão, que também convidou para o encontro o Chefe de Gabinete da Presidência, Reginaldo Marques…

A Administração Superior do Ministério Público do Pará está empenhada em fortalecer a atuação dos promotores de justiça no arquipélago do Marajó, onde a situação de extrema pobreza, agravada pela pandemia, perpetua crimes gravíssimos como os abusos e exploração sexual…

“A Prefeitura de Belém, por meio da Comissão de Defesa Civil de Belém, informa que realizou vistoria técnica no bloco B do imóvel localizado na avenida Presidente Vargas, 762, no dia 11 de fevereiro, às 9h, em conjunto com representantes…

DEM e PSL ainda nem consumaram a fusão, prevista para outubro deste ano, mas a briga já é de foice. O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto duelam nos bastidores pelo comando do novo…

Quilombolas X mineradora





Lideranças
quilombolas de Oriximiná querem barrar a expansão da exploração minerária em
suas terras pela Mineração Rio do Norte – inclusive os estudos geológicos e de
impacto ambiental – até a titulação, publicação dos relatórios da Terra
Quilombola Alto Trombetas, tecnicamente aprovado desde abril deste ano, e
finalização do relatório de identificação das Terras Quilombolas Jamari/Último
Quilombo/Moura, onde vivem cerca de 330 famílias distribuídas em 13 comunidades.
São mais de 30 mil hectares de terras quilombolas que podem ser destinados à
retirada de bauxita.
A MRN é a maior
produtora de bauxita (matéria-prima do alumínio) do Brasil, opera em Oriximiná
desde 1979 e tem licenças do DNPM e do Ibama para explorar o platô Monte Branco.
Ano passado, requereu autorização para lavra em sete novos platôs sobrepostos
às Terras Quilombolas Alto Trombetas e Jamari/Último Quilombo/Moura.
Os quilombolas se
queixam de que as autorizações para lavra e pesquisa têm sido concedidas pelo
governo federal sem o consentimento prévio das comunidades
que vivem nessas áreas.
O tema está em pauta na reunião do Fórum Quilombola do Baixo Amazonas,
esta tarde, em Santarém, com participação do MPF, MPE-PA e órgãos governamentais.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *