O presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, foi aclamado ontem por servidores e deputados após a sessão plenária, que se estendeu até as 15h, ao entregar os espaços reformados que já estão prontos para utilização. É que, em…

O delegado de polícia de Oriximiná, Edmílson Faro, prendeu o vigia Ailton Ferreira da Silva a pedido do presidente da Câmara Municipal, vereador Marcelo Andrade Sarubi (PSDB) e do vereador Márcio Canto (PTB) e, na presença de ambos e do…

Primeira do Brasil totalmente focada na educação para o trânsito, a biblioteca do Detran-PA foi criada em 1998 e começou direcionada ao público interno, funcionando no antigo prédio do órgão, ao lado da Ceasa. Em 1º de novembro de 1999,…

A Prefeitura de Belém vai revitalizar dezesseis imóveis do município que estão há anos em situação de abandono. Além do resgate do patrimônio histórico, artístico e cultural, a intenção é reduzir gastos com aluguéis de prédios que abrigam órgãos municipais.…

O exemplo dos presos de Santarém

Nem tudo está perdido. Ontem à tarde, mais de 570 presos do Centro de Recuperação Agrícola Sílvio Hall de Moura, em Santarém, entregaram simbolicamente uma cesta básica para a família do menino Fabrício de Lima Pereira, que há dois anos foi diagnosticado com um tumor cerebral. Eles viram a mãe do garoto pedindo ajuda em um programa de TV local e todos decidiram abrir mão do jantar na última quarta-feira (21), a fim de doar o valor que seria gasto com as refeições para a família, em cestas básicas. No total, serão mais de R$ 3 mil durante um ano, na forma de uma cesta básica mensal no valor de R$ 300. O interno José Augusto, 42, foi o idealizador da campanha

Noeme Pereira, a mãe de Fabrício, tem outros quatro filhos. A família é natural de Rurópolis, está há um ano em Santarém e deverá ficar mais um ano. Os custos com a hospedagem nos próximos meses serão financiados pelo Governo do Estado e a medicação pelo Hospital Regional de Santarém, onde Fabrício realiza seu tratamento

O gesto solidário dos presos, individualmente, é só de jejum no jantar de um dia. Mas sendo de todos, mudará a história de uma família, que terá o mínimo de alimento garantido por um ano. Que exemplo dignificante! De fato, dá para falar em ressocialização e resgate da cidadania.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *