Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Novas rotas impulsionam o Turismo parauara


Até o final do mês Marabá, Ourilândia e Redenção terão restabelecidas suas rotas aéreas. O Pará aderiu ao programa de aviação regional do governo federal e com isso vai conseguir recuperar e ampliar, inicialmente, quatro dos seus 23 aeródromos. A maioria deles está em situação muito precária, são meros campos de pouso. As melhorias incluem pistas, balizamento para voos noturnos e terminais de passageiros, além de itens de segurança como veículos de combate a incêndio. Os recursos já estão garantidos e são oriundos das outorgas onerosas de aeroportos. 

O secretário de Estado de Transportes, Kleber Menezes, negociou com o então ministro da Aviação Civil e priorizou os aeródromos de Redenção, Itaituba, Breves e Paragominas, pelos critérios de saúde e segurança: os quatro têm ou estão para ter hospitais regionais. Kleber também já acertou com a empresa Piquiatuba que a reconstrução do aeródromo de Salinas vai permitir a implantação de uma linha aérea costeira na rota Belém/Salinas(PA)/Barreirinhas(MA), Parnaíba(PI)/Jericoacoara(CE), além de uma sonhada integração com o voo direto de Lisboa, através de code share, sem precisar pagar o agregado (codeshare é um acordo de cooperação pelo qual uma companhia aérea transporta passageiros cujos bilhetes tenham sido emitidos por outra companhia. O objetivo é oferecer aos passageiros mais destinos do que uma companhia aérea poderia oferecer isoladamente).

Em Soure, o recentíssimo voo direto de Belém já se reflete em hotéis, restaurantes, operadoras de turismo, pousadas e mototaxistas, com incremento nas atividades em 30%. 

O Pará lançou mão de renúncia fiscal de receita, num momento de crise econômica nacional, e incentiva novas rotas dentro do Estado e as internacionais. São oito municípios no ‘Voe Pará’. Adnan Demachki, secretário de  Estado de Desenvolvimento, Mineração e Energia e ex-prefeito de Paragominas, destaca a importância estratégica do Voe Pará, dentro do programa de investimentos “Pará 2030”, no sentido de ampliar a integração e melhorar a acessibilidade no Estado. 

A rota do “Voe Pará” é feita por um avião Gran Caravan, fabricado pela  norte-americana Cessna. É certificado como um dos aviões monomotores de alto nível de segurança. A Two-Flex é a empresa que opera as rotas para Soure, Breves e Paragominas. Os voos Belém-Soure são às segundas e sextas-feiras, com saída da capital às 11 h e chegada às 11:20h. A viagem de retorno decola às 11:40h e pousa em Belém às 12h. O voo Belém-Breves tem frequência de duas vezes na semana, às terças e quintas-feiras, com partida de Belém às 13h e chegada às 13:55h. O voo de retorno sai de Breves às 14:15h, com pouso na capital paraense às 15:10h. A rota Belém-Paragominas tem voos toda quarta-feira, com decolagem às 11 h e chegada às 11:55h. A volta sai às 12:15h, com pouso em Belém às 13:10h. 

O programa “Voe Pará” é aberto a qualquer companhia aérea que se enquadre nos requisitos exigidos pelo governo do Estado. Já estão cadastradas as empresas TWO, Pema e Piquiatuba. O programa estimula que as empresas mantenham suas linhas áreas atuais e criem outras linhas para o interior, iniciando já com nove destinos. Algumas linhas partirão da capital para cidades que já têm voos regulares, como Marabá, e seis novas linhas para municípios que não dispõem de transporte aéreo regular de passageiros, como Ourilândia do Norte, Redenção e Tucuruí.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *