A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

II Diálogos Amazônicos

Foto: Milena Santa Brígida

O Basa promove nesta sexta-feira o II Diálogos Amazônicos, a partir das 9h, na Av. Presidente Vargas, nº 800, em Belém(PA).
O painel de abertura do evento terá como tema “A atuação do Banco da Amazônia no fomento à pesquisa na Região”, com Oduval Lobato Neto, gerente de Gestão de Programas Governamentais do banco, e a doutora Tatiana Sá, da Embrapa.
Em seguida haverá a mesa redonda “Um panorama dos projetos apoiados pelo Banco da Amazônia por meio do Edital 2015”, com pesquisadores do Museu Paraense Emílio Goeldi, Embrapa e UFPA, além de representantes de instituições de outros Estados da região, como a Funtac, do Acre. 

Responsável por um dos 18 projetos selecionados no Edital de Pesquisa 2015 do Basa, o doutor Rafael Salomão, do Museu Goeldi, falará sobre o projeto “Desenvolvimento e Disponibilização de Livre Acesso de Software para Restauração de Áreas Degradadas de Reserva Legal (ARL) e de Preservação Permanente (APP) na Amazônia”, realizado em parceria com a UFPA, Embrapa e UFRA.
Com esse software, é possível selecionar as espécies arbóreas mais adequadas para a restauração de áreas degradadas na região. 

No encerramento, será lançada a 23ª edição da revista Amazônia: Ciência & Desenvolvimento.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *