A igreja de São Francisco de Assis em Belém do Pará, carinhosamente chamada pelos fiéis de "Capuchinhos", completará cem anos de sua inauguração em 02 de outubro de 2022. A abertura oficial das festividades será com um concerto na igreja…

O trânsito continua matando mais do que muitas guerras. A administradora Gina Barbosa Calzavara, coordenadora dos bosquinhos da Universidade Federal do Pará, fez uma emocionante homenagem à memória do jovem Jean Serique Lameira, esportista do ciclismo e que também usava…

O Laboratório de Engenharia Biológica do Parque de Ciência e Tecnologia - PCT Guamá está estudando o sequenciamento genético do açaí, de modo a assegurar a rastreabilidade de ponta a ponta na cadeia produtiva e padrões de qualidade para os…

A Lei estadual nº 9.278/2021, que entrou em vigor em 30 de junho deste ano, instituindo a obrigação de que pessoas residentes em condomínios, conjuntos habitacionais e similares comuniquem à Polícia Civil, de forma imediata, qualquer tipo de agressão praticada…

Flipa começa amanhã


Amanhã e domingo, a Feira Literária do Pará reúne doze autores entre cronistas, contistas, romancistas e poetas parauaras, na Fox da Dr. Moraes, a partir das 9h, em Belém. Haverá sessões de autógrafos, lançamentos de obras, palestras e debates sobre o mercado editorial. A reedição do “Belém, Belém” de Alfredo Oliveira, “Atalhos no Tempo” de Flávio Oliveira (Prêmio Fox de Literatura), “Fale com Celestina”, de Álvaro Martins”, “Olho de Boto”, de Salomão Larêdo, “Pssica”, de Edyr Augusto Proença, “Zon, O Rei do Nada”, de Andrei Simões, e a reedição toda ilustrada de “A Torre Acima do Véu”, de Roberta Spindler, são atrações, mas há muitas outras obras para ler, com descontos especiais e rodas de conversa.

Uma das estrelas da Flipa é o jornalista, dramaturgo e romancista Edyr Augusto Proença, que venceu este ano o prêmio “Chamaeleon”, da universidade Jean Moulin, de Lyon. Sua obra “Os éguas”  – título que não tem equivalente na língua francesa – virou ‘Les Belenenses’ e foi escolhida o melhor livro estrangeiro traduzido para o francês. Edyr já publicou 16 livros, que fazem sucesso na Europa.

O escritor, biólogo e professor universitário Andrei Simões lança a coletânea “O Corvo: um livro colaborativo”, em homenagem aos 170 anos do poema homônimo de Edgar Allan Poe. Rogério Almeida vai apresentar duas obras: “Pororoca pequena: marolinhas sobre a(s) Amazônia (s) de Cá” e “Territorialização do campesinato no sudeste do Pará”. 

Haverá também uma exposição sobre a obra da poetisa e compositora Adalcinda Camarão, patrona da edição de 2015 da Flipa. Nascida em 18 de julho de 1914 em Muaná, no arquipélago do Marajó, Adalcinda começou a escrever aos 10 anos de idade e faleceu em 2005, aos 91 anos. 

O Prêmio Nobre, que reconhece o conjunto da obra, será atribuído ao saudoso historiador e escritor Ernesto Cruz. Já o Prêmio Fox vai para um escritor estreante,  Flávio Oliveira.

Amanhã a Flipa inicia às 9h com sessão de autógrafos, lançamentos e exposição do material sobre Adalcinda Camarão. À tarde tem Garapa Literária às 16h, com o escritor Salomão Larêdo e homenagem à patrona Adalcinda Camarão. Depois Edyr Augusto, Tom Luxardo, João de Jesus Paes Loureiro e homenagem ao Prêmio Nobre de Literatura, Ernesto Cruz. Em seguida, às 17:05h, Deborah Miranda, Alan Watrin Coelho, entrega dos Prêmios de 2014, Prêmio Fox de Literatura para Flávio Oliveira e Prêmio Nobre de Literatura para Alfredo Oliveira. A partir das 18:15h é a vez da palestra do médico Habib Fraiha Neto sobre Gaspar Vianna e às 18:30h encerra a programação.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *