Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Uma reunião no Ministério Público do Estado do Pará colocou em pauta a situação caótica da Unidade de Conservação Estadual Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu, onde proliferam construções e empreendimentos comerciais irregulares, transporte fluvial desordenado, festas e…

O juiz federal Henrique Jorge Dantas da Cruz condenou a União e o Estado do Pará à obrigação de fornecer Cerliponase Alfa (Brineura®) a uma criancinha de quatro anos durante todo o período de tratamento, sem interrupção. O remédio deverá…

A Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária da Assembleia Legislativa aprovou à unanimidade, hoje (15), as contas do governador Helder Barbalho relativas ao exercício de 2020. Conforme o relatório do presidente da CFFO, deputado Igor Normando (MDB), a receita bruta…

Espetáculo imperdível

Estreia hoje a montagem de “O Navio
Fantasma”, a sensacional obra de Richard Wagner, no Festival de Ópera do
Theatro da Paz. A história é ambientada em uma zona portuária, e o cenário
promete ser grandioso. Em cena, o clima será de tormenta constante. Um casco de
navio com 5.70 m de boca(largura) por 7 m de altura estará no palco, que também
terá uma piscina. Pichações em alfabeto rúnico (usado pelos antigos povos
germânicos) pontuam a cenografia. A paisagem retratará o período frio, e o
ponto de partida é a morte. Uma mulher tenta suicídio por causa de um amor. Nos
figurinos, vestimentas escuras, com padronagens diferentes e tecidos do jeans
ao veludo. Nada de brilho ou pedrarias.

O maestro Miguel Campos Neto vai reger
a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz e no elenco estão o barítono Rodrigo
Esteves (o holandês), a soprano Tati Helene (no papel de Senta), o baixo Denis
Sedov (Daland), os tenores Ricardo Kamura e Antônio Wilson Azevedo (Erik e
Steuermann), e a mezzo-soprano Alpha de Oliveira (Mary).
O diretor do
Festival de Ópera, Gilberto Chaves, ressalta que “O Navio Fantasma” marca a disseminação do evento para concepções
que permitam explorar ao máximo a imaginação. “Esta é a nossa expansão para
voos imaginários, com audácia na cenografia e liberdade para criar, sem se
prender no tempo”.
O Festival ganhou destaque na imprensa nacional.
Alguns dos principais críticos de ópera do País vieram conferir “L’elisir d’ amore”, de Gaetano
Donizetti, e “Il Trovatore”, de
Giuseppe Verdi.
A apresentação de segunda-feira, 23, será
transmitida ao vivo pela TV Cultura do Pará, e pelo Portal Cultura, além de um telão no
Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas, em Belém, com entrada livre, a
partir das 20 h. Aproveitem! Tenho ingressos para a quarta-feira, 25.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *