Evellyn Vitória Souza Freitas nasceu no chão do banheiro do Hospital Municipal de Portel, município do arquipélago do Marajó (PA), no dia 28 de julho de 2021, por volta das 8h da manhã, prematura de 28 semanas e dois dias, pesando 1Kg e 39…

Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

Equipes da Divisão de Homicídios e da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos estavam monitorando há um mês o grupo criminoso que planejava roubar em torno de R$ 1 milhão no caixa eletrônico do Banpará localizado dentro do Hospital…

Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

Vereadores de Belém barrados no lixão de Marituba

Essa novela surreal do lixão de Marituba, que tem o pomposo nome de Centro de Processamento e Tratamento de Resíduos, teve novo capítulo hoje. Seria cômico se não fosse trágico. A Câmara Municipal de Belém formou uma comitiva de mais de 20 vereadores, chamou a imprensa e foi até o aterro sanitário, hoje de manhã. A intenção era fazer uma visita técnica para cobrar da Revita/Guamá um posicionamento em relação ao que tem sido denunciado pelos moradores da área, de forma a encontrar uma solução para reduzir os graves impactos socioambientais que afligem os moradores de Marituba. Mas os vereadores foram barrados pela direção da empresa responsável. Não puderam entrar e muito menos fiscalizar.

Na segunda feira, 13, a empresa já sinalizava o desrespeito ao distinto contribuinte: nenhum representante compareceu à sessão especial da Câmara que debateu o problema do lixo metropolitano com representantes de entidades, movimentos sociais, prefeituras de Belém, Ananindeua e Marituba e Governo do Estado. Ou seja: a Revita/Guamá – que não cumpre as condicionantes exigidas pela Semas quando da concessão de sua licença de operação – está literalmente se lixando para a população e os políticos.

A Câmara promete reagir ajuizando uma ação com pedido de liminar a fim de entrar nas instalações do aterro sanitário. A área tem 100 hectares e equivale a um campo de futebol. O município de Marituba tem cerca de 120 mil habitantes, que não suportam mais o odor fétido que invade as residências, e denunciam a contaminação do rio Uriboca.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *