Evellyn Vitória Souza Freitas nasceu no chão do banheiro do Hospital Municipal de Portel, município do arquipélago do Marajó (PA), no dia 28 de julho de 2021, por volta das 8h da manhã, prematura de 28 semanas e dois dias, pesando 1Kg e 39…

Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

Equipes da Divisão de Homicídios e da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos estavam monitorando há um mês o grupo criminoso que planejava roubar em torno de R$ 1 milhão no caixa eletrônico do Banpará localizado dentro do Hospital…

Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

TRE-PA indeferiu candidatura de Sefer

Acatando os argumentos de fato e de direito apresentados pelo Procurador Regional Eleitoral Alan Mansur, o TRE-PA indeferiu, hoje, a candidatura do ex-deputado estadual Luiz Afonso Sefer(PP). O Ministério Público argumentou, em síntese, que ele renunciou ao assento na Alepa em abril de 2009, no auge do escândalo da CPI da Pedofilia, para escapar de enfrentar o processo de perda de mandato que tinha sido aberto a pedido do PSOL. E que a questão se amolda à Lei da Ficha Limpa para gerar inelegibilidade.

O placar foi apertado, 4X3. Inicialmente empatou. A juíza Ezilda Pastana Mutran, o juiz federal Ruy Dias e o Desembargador Raimundo Holanda Reis votaram de acordo com o pedido de impugnação do MP. Já os juízes João Batista, Marco Antonio Lobo Castelo Branco e Mancipor Oliveira Lopes votaram a favor de Sefer. O presidente do TRE-PA, Desembargador Leonardo Tavares, então, deu o Voto de Minerva, pelo indeferimento.
Sefer foi indiciado pelas duas CPIs da Pedofilia, da Alepa e do Senado, processado sob acusação de estuprar durante anos uma criança de 9 anos que morou na casa dele e condenado a 21 anos de reclusão por crime hediondo. Em outubro de 2011, foi absolvido por 2×1 em uma das Câmaras Criminais Isoladas do TJE-PA, “por falta de provas”. O MP recorreu ao STJ e ao STF, assim como o Cedeca/Emaús, que também é habilitado no processo. O Recurso Especial, no STJ, já deveria ter sido apreciado, mas uma ministra pediu vista no dia do julgamento.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *