Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

MP eleitoral pede multa a PMDB

Procurador Regional Eleitoral, Alan Mansur, pediu hoje à Justiça Eleitoral que aplique imediatamente multas ao PMDB e a todos os pré-candidatos que participem dos eventos denominados “Queremos ouvir o Pará”, proibidos judicialmente por caracterizarem propaganda eleitoral antecipada, e cuja ordem vem sendo descumprida. “Mesmo após a concessão da medida liminar e da proibição de fazer, o PMDB vem, em sua página oficial do facebook, convidando o público em geral para os eventos denominados “Movimento queremos ouvir o Pará” realizados em locais de acesso público, bem como fazendo forte divulgação dos referidos encontros. A divulgação também é feita na fanpage de Helder Barbalho”, diz o procurador. 

A primeira decisão que proibiu os encontros do PMDB é datada de 7 de março. No último dia 13, a liminar foi apreciada pelo Pleno do TRE-PA, que a confirmou, e cujo acórdão afirma: “caracteriza-se propaganda eleitoral antecipada, e não reunião de filiados, eventos cuja própria denominação denota o intento de escutar a população sobre o que esta deseja em um futuro governo. Ademais, pelo teor dos discursos, contradições na própria defesa, participação da população, convites e divulgação feitos na internet e ambiente aberto a todos que gostariam de participar, houve claro intuito de angariar votos.” 

O MP Eleitoral encontrou, em 14 de maio, na página de Helder Barbalho, mensagem equivocada dizendo que o TRE-PA permitira a continuidade das reuniões. No mesmo dia, a página convocou reunião em Castanhal para 17 de maio.
As mesmas afirmações foram publicadas no jornal Diário do Pará. “A redação no jornal se mostra truncada e até certo ponto dissociada da verdade dos fatos, tendo em vista que afirma em um trecho da reportagem que as reuniões teriam sido consideradas regulares pela Justiça Eleitoral, o que não encontra respaldo algum nas decisões judiciais proferidas nos autos”, sustenta o procurador Alan Mansur.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *