Desde sua origem, Marabá (PA) sofre anualmente enchentes dos rios Tocantins e Itacaiúnas e a população que reside em áreas de risco fica em situação de vulnerabilidade. Todos os anos a defesa civil estadual e municipal planeja, monitora e prepara…

Em noite de gala na próxima segunda-feira, 24, às 19h, no Teatro Maria Sylvia Nunes, em Belém, o governador Helder Barbalho vai lançar o 110º Campeonato Paraense de Futebol, o Parazão Banpará 2022, com transmissão ao vivo pela TV e…

Todos os órgãos de segurança estão trabalhando de forma integrada para dar suporte à população em face da destruição do pilar central e iminente desabamento do vão da ponte do Outeiro. O Centro Integrado de Comando e Controle da Segup…

O Procurador-Geral de Justiça do Estado do Pará, César Mattar Jr., recebeu em audiência o advogado Arnaldo Jordy e uma comissão integrada por Simone Pereira, da Universidade Federal do Pará; Marcelo Alves, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e…

MP, Alepa, Câmara e governo tratam de descarte de medicamentos

As promotoras de justiça Ângela Balieiro (Meio Ambiente), Joana Coutinho (Consumidor) e Suely Catete (Saúde) conversaram com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Márcio Miranda, que é médico, sobre a política reversa de medicamentos, e pediram que elabore uma lei que discipline o tema e obrigue as farmácias, postos de saúde e hospitais a receberem os medicamentos que estavam em posse da população. Os riscos decorrentes do descarte incorreto são alarmantes. 


O documento também foi entregue ao presidente da Câmara Municipal de Belém, Orlando Reis, e às Secretarias de Estado da Saúde e da Fazenda. O Brasil ainda não dispõe de uma legislação específica para o descarte, recolhimento, transporte e destinação adequada dos medicamentos vencidos ou em desuso. Muitos Estados e municípios estabelecem regras e criam postos de coletas mas no Pará poucas são as iniciativas nesse sentido. 


O Ministério Público também reuniu com representantes das redes de farmácias, distribuidores, Conselho de Farmácia e Vigilância Sanitária, a fim de discutir alternativas para o descarte seguro e ambientalmente correto das sobras vencidas dos medicamentos. Uma das possibilidades é a criação de postos de coletas, chamados de descartômetros, onde a população possa depositar o medicamento vencido para ser incinerado posteriormente.
Os empresários se comprometeram em disponibilizar  recipiente nas farmácias para que as pessoas façam o descarte e recolher os remédios vencidos nas unidades de saúde das Secretarias de Saúde do Estado e do Município. 



A Sesma também se comprometeu em utilizar agentes de saúde para compartilhar informações durante as visitas domiciliares. Para começar a desenvolver essas ações, o MP irá assinar com essas instituições um Termo de Cooperação, no dia 25 de outubro, às 9h, na Secretaria de Estado de Fazenda do Pará.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *