Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Famigerada impunidade

No âmbito do Judiciário paraense, o tempo médio de um processo desde sua distribuição até a prolação de sentença em 1º grau é de 06 anos. Muitos se arrastam durante 20 anos – pela demora na realização de perícias, no cumprimento de mandados de citações e intimações e pelos pedidos dos advogados, claramente procrastinatórios.

Há caso na área penal em que transcorreram 10 anos, da prisão em flagrante delito até o despacho que intimaria a testemunha a comparecer em juízo. Nesse ínterim, vítima e testemunhas mudaram o domicílio sem comunicar ao TJE que, assim, absolveu o algoz.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *