“A Prefeitura de Belém, por meio da Comissão de Defesa Civil de Belém, informa que realizou vistoria técnica no bloco B do imóvel localizado na avenida Presidente Vargas, 762, no dia 11 de fevereiro, às 9h, em conjunto com representantes…

DEM e PSL ainda nem consumaram a fusão, prevista para outubro deste ano, mas a briga já é de foice. O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto duelam nos bastidores pelo comando do novo…

Um pastor de igreja evangélica localizada no município de Breves, no arquipélago do Marajó, foi condenado a 39 anos de prisão por estupro de vulnerável, exploração sexual e por possuir e armazenar pornografia infantil, com o agravante de que ele…

Acionado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o Ministério Público Federal recomendou ao prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, medidas efetivas para que os responsáveis pelo edifício conhecido como Bloco B da Assembleia Paraense assegurem a manutenção emergencial do…

Eliel Faustino vai acionar Mário Filho por denunciação caluniosa

O deputado Eliel Faustino(SDD), 1º Secretário da Mesa Diretora da Alepa, relatou da tribuna, hoje, que foi ao MPE-PA saber quais são as acusações feitas contra si por Mário Filho. E adiantou que ajuizará ação criminal por denunciação caluniosa. Historiando o caos em que seu irmão, Elivan Faustino(PMDB), prefeito de Marituba, encontrou a municipalidade, Eliel teceu duras críticas, inclusive à conduta do advogado Robério d’Oliveira, patrono de seu opositor.

Em Marituba, o impasse continua. Embora Mário Filho(PSD) tenha obtido vitória em sua ação eleitoral, ao que tudo indica a decisão não terá eficácia, diante da realização, no ano passado, por determinação do próprio TSE, de novas eleições, para a qual foi eleito prefeito, de modo incontroverso, Elivan Faustino. Caso inédito na Justiça Eleitoral, o imbróglio ainda vai render muito.

Para refrescar a memória: Mário Filho foi eleito em 2012 prefeito de Marituba, mas teve seu registro indeferido pela 43ª Zona Eleitoral  e pelo TRE-PA  pela ausência de quitação eleitoral das contas do pleito de 2008.  Elivan Faustino era seu vice e também foi impedido de assumir. Antonio Armando(PSDB), o segundo mais votado, logo teve o diploma cassado e foi declarado inelegível por causa da rejeição de suas contas na gestão anterior. O então presidente da Câmara, Wildson Mello, foi empossado como interino, mas também teve o mandato cassado por corrupção. Para por fim a essa situação calamitosa, foi realizada nova eleição em 04 de agosto de 2013, vencida por Elivan Faustino. Em 13 de março de 2014, o TSE reconheceu o direito de Mário Filho.

Durma-se com um barulho desses. A questão envolve direito e princípios constitucionais e vai acabar no STF. Anotem.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *