Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Degradação do jornalismo & misoginia

O deputado Wladimir Costa (SD-PA) vem alcançando, na última semana, fama planetária. Mas a sua imagem desce a ladeira

Entendo que boa parte da repercussão ao seu nome e atitudes é fruto da banalização, do obscurecimento e da degradação do jornalismo, transformado em espetáculo e entretenimento barato. Afinal, qual é a importância da tatuagem do nome do presidente da República e se é definitiva ou feita com henna? O deputado é dono de seu corpo, as tatuagens que gosta de fazer só dizem respeito a ele e aos seus íntimos. Trocando em miúdos: ninguém tem algo a ver com isso, à sociedade interessa a sua conduta como parlamentar, os seus votos, as suas manifestações. O que não é pouco. Afinal, só para citar os episódios mais recentes, ele passou uma solenidade inteira do governo federal bebendo cerveja, em Salinópolis(PA), em trajes totalmente inadequados, e provocou tumulto em plenário durante a votação pela admissibilidade do processo contra Temer, por exemplo.

Não bastasse, foi acusado de assédio à jornalista da CBN, Basília Rodrigues, na noite de terça-feira, 1° de agosto. Ela postou em seu perfil no Facebook um texto intitulado “Um ensaio sobre a idiotice”, no qual conta que pediu para ver a tatuagem do deputado após os rumores de que o desenho teria sido feito de henna. Ele respondeu: “Pra você, só se for o corpo inteiro”. O fato foi testemunhado por outros deputados, jornalistas e até câmeras de TV. Parlamentares constrangidos pediram desculpas à profissional pelo comportamento do colega. Mas ele nem se deu por achado.

Wlad também foi flagrado pelo fotógrafo Lula Marques na quarta-feira, 2, durante a histórica sessão sobre Michel Temer, respondendo assim a uma jornalista, via WhatsApp: “Mostra a tua bunda afinal não são suas profissões que a destacam como mulher é sua bunda. Vai lá põe aí garota” (sic). 

Para ele, nada houve de errado. 

O Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal, em nota, repudiou o assédio sexual e moral, destacando que “as mulheres jornalistas, em especial as negras, já estão submetidas a uma série de desigualdades e violências, dentro e fora das redações, que demandam de toda a sociedade atenção redobrada, ainda mais quando se trata de uma cobertura política de interesse público”. O blog assina embaixo.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *