0

“Belém Bragança Nos Trilhos da Esperança” é um espetáculo teatral encenado pelo Grupo Experiência, com direção do mestre dos mestres Geraldo Salles. O espetaculo tem o texto inicial do saudoso e magnifico José Leal e finalizado pela professora Mariana Bordallo. A obra pode ser entendida como uma comedia de costumes enviesada em uma critica bem humorada que faz uma imersão na história e no cotidiano político, social, econômico da Estrada de Ferro de Bragança. Circulam no texto figuras políticas da história paraense como o governador Augusto Monte Negro, o interventor Magalhães Barata, além dos transeuntes que circulavam nas estações da EFB, com suas histórias de vida, suas angústias e alegrias. A arte, a cultura e a religiosidade de Bragança, a pérola do Caeté, é magnificamente apresentada nos contextos humanos, e na música. Tony Soares traz a legitimação dessa alma bragantina pela composição musical apreciada ao som do Retumbão e pela presença no palco do estandarte de São Benedito e da marujada. É possível perceber o sincronismo e o entrosamento do elenco que cantam, dançam e representam levando o público a cartase somente proporcionada pela arte. Um espetáculo bom aos olhos, bom a mente e bom ao coração Amazonida. Quem não conhece a pérola do Caeté, sai do teatro com o enorme desejo de conhecer Bragança, que também serviu de ambiente para ” A menina que veio de Itaiara”, célebre obra da importantíssima escritora paraense Lindanor Celina. Uma dramaturgia que precisa ser vista por todos. Viva o teatro, Viva a Literatura, viva a arte amazônica.

SERVIÇO: em cartaz no Teatro do Sesi (Av. Almirante Barroso, 2540, com entrada pela Dr. Freitas), Belém – Pará.

Ingressos com meia para estudantes, idosos, PCD’s, jovens de baixa renda (CadÚnico) (mediante documentação – confira as condições aqui: https://bit.ly/MeiaEntradaEvento)
*Profissionais de educação (Professores, técnicos e servidores ligados à área da educação no ensino público e privado de instituições localizadas no Município de Belém). Lei Municipal nº 9.191, de 28/01/2016.
*Crianças: Crianças até 3 anos não pagam, mas sentam no colo, a partir de 4 anos pagam meia entrada e ocupam um assento.
Classificação: 14 anos.

Horário de funcionamento da bilheteria: de segunda a sexta das 9h às 18h.
Sábados, domingos e feriados: somente em dia do evento, a partir das 14h.

Marcos Valerio Reis
Marcos Valerio Reis, jornalista, mestre em Comunicação, Doutor em Comunicação, Linguagens e Cultura, pós-doutor em Comunicação. Membro do Grupo de pesquisa Academia do Peixe Frito, pesquisador da arte literária na Amazônia e membro da Academia Paraense de Jornalismo.

APJ Debates na TV Cultura

Anterior

Alepa aguarda laudos sobre vazamento tóxico na JBS

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Cultura

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *