O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Uma reunião no Ministério Público do Estado do Pará colocou em pauta a situação caótica da Unidade de Conservação Estadual Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu, onde proliferam construções e empreendimentos comerciais irregulares, transporte fluvial desordenado, festas e…

As incríveis coleções do Museu Paraense Emílio Goeldi

Com importância singular nos campos científico, sociocultural e político, os acervos arqueológicos e etnográficos do Museu Paraense Emílio Goeldi, sediado em Belém do Pará, são declarados patrimônio cultural brasileiro há mais de 80 anos.

A Coleção Etnográfica, composta por quinze mil objetos de diferentes categorias artesanais, é uma das três mais importantes do Brasil. A reserva técnica Curt Nimuendaju salvaguarda sobretudo elementos orgânicos. Há artefatos oriundos de 120 povos indígenas que vivem principalmente na Amazônia brasileira, mas também na Amazônia peruana e colombiana. Muitas peças provêm dos Saamacá, povo maroon do Suriname; de populações tradicionais no Brasil, como quilombolas, ribeirinhos e pescadores; e de populações centro-africanas, que remontam ao final do século XIX.

Rica fonte de consulta para um amplo leque de estudos interpretativos na área das ciências humanas: cultura material, tecnologias tradicionais, antropologia da arte, etnohistória e história da arte, processos migratórios, trocas e apropriações culturais como resultado das situações de contato, o acervo é compartilhado em plataformas virtuais como o site Amazonian Museum Network, iniciativa conjunta do Museu Goeldi, Musée des Cultures Guyanaises e o Musée Départamental Alexandre-Franconie (Guiana Francesa) e Museu Stichting Surinaams (Suriname). As coleções são compreendidas menos como testemunhos de culturas tradicionais, e mais como suportes de dimensões históricas, políticas e identitárias.

Já a coleção arqueológica traça a história indígena da Amazônia, reforçando o empenho do Museu Goeldi para estreitar sua relação com o público. O projeto “Replicando o Passado: socialização do acervo arqueológico do Museu Goeldi através do artesanato cerâmico de Icoaraci” é uma feliz parceria entre a curadoria Reserva Técnica Mário Ferreira Simões e os ceramistas de Icoaraci, que encontram nas cerâmicas arqueológicas inspiração para sua produção artesanal.

Cerca de três mil objetos cerâmicos de grandes dimensões e sete mil caixas contendo vestígios procedentes de diversas regiões da Amazônia (vasilhas, urnas funerárias, estatuetas), artefatos líticos (como pontas de flecha, lâminas de machado, muiraquitãs); faianças, vidros e metais que remontam à história colonial e pós-colonial da região, além de materiais orgânicos, incluindo osteológicos (ossos humanos e animais), contam parte da trajetória de povos que habitaram a Amazônia há centenas ou milhares de anos. Estagiários e voluntários dos cursos de Museologia e de Conservação e Restauro da Universidade Federal do Pará se juntaram à equipe de curadoria do Museu Goeldi. As atividades foram interrompidas em razão da pandemia do novo coronavírus e dependem do restabelecimento de um mínimo de segurança sanitária para a retomada.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *