0
Acreditem. Hoje, passava das 9:30h da matina mas os usuários davam com a cara na porta da central dos Correios da Senador Lemos. Tudo porque o guarda ainda não tinha chegado ao serviço. Lá dentro, os funcionários estavam a postos, no ar condicionado. Na rua, sob o sol escaldante e submetido a todos os riscos, o zé povinho, sempre maltratado. Foi-se o tempo em que eficiência e rapidez eram marcas da EBCT. E que se respeitava o distinto cidadão contribuinte.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Evangélicos vão clamar de joelhos pela paz

Anterior

Começa processo para licenciar a Fepasa

Próximo

Você pode gostar

Comentários