Na terça-feira da semana passada (19), quando estava em votação no plenário da Assembleia Legislativa projeto de Indicação de autoria da deputada Professora Nilse Pinheiro transformando o Conselho Estadual de Educação em autarquia, detentora de autonomia deliberativa, financeira e administrativa,…

A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

Começa processo para licenciar a Fepasa

Já está protocolado pelo secretário de Desenvolvimento Econômico do Pará, Adnan Demachki, e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade tem prazo de 30 dias para deliberar sobre o pedido do Termo de Referência destinado a licenciar a ferrovia que vai ligar o sul do Pará ao Porto de Barcarena, cuja concessão o Estado pretende licitar. A meta é atuar em duas frentes paralelas: o licenciamento ambiental do empreendimento e a finalização dos estudos com vista à licitação da concessão.
A Fepasa está orçada em R$ 8 bilhões e o dinheiro será da iniciativa privada. 



Os estudos de viabilidade técnica da ferrovia começaram em março deste ano e estão em fase de conclusão.  O traçado ferroviário da linha-tronco começa a cerca de 25 Km ao sul de Santana do Araguaia, em uma Plataforma Logística e Industrial, seguindo no sentido norte, paralelo à BR-158, passando por Redenção, Xinguara e Eldorado do Carajás, até Marabá, onde está prevista uma ponte de aproximadamente 1,5 Km.
Ao norte de Marabá outra Plataforma Logística está planejada. Neste segmento o traçado abrange região com topografia plano-ondulada, sem grandes obras de transposição – à exceção da ponte sobre o rio Tocantins – e movimentação de terraplenagem mediana.
Em sequência, ainda no sentido norte e paralelo à PA-150, a ferrovia segue até Nova Ipixuna, tomando a partir daí o sentido leste, próximo da BR-222, até o Projeto Alumina Rondon, retornando no rumo norte, passando por Santo Antônio, Castanhandeua, Moju e Barcarena. 



Na primeira etapa, será construída a linha-tronco de Marabá a Barcarena e, na segunda, o trecho Santana-Marabá. O ramal Ramal Paragominas – Vila Nova inicia às proximidades da BR-010 (Belém–Brasília) no sentido oeste, perto da PA-256, passando pela mina da Hydro Paragominas (de exploração de bauxita) e em seguida pela futura Plataforma Logística situada no entroncamento da PA-256 com o Rio Capim (a 50 Km de Paragominas), até alcançar o trecho principal, nas cercanias da localidade de Vila Nova. O ramal Alumina – Rondon começa na Alumina Rondon, seguindo na direção sudeste até Rondon do Pará, servida pela BR-222. 


Por orientação do governador Simão Jatene, o secretário Adnan Demachki propôs ao governo federal a construção de um ramal de 58 Km, interligando a Fepasa, à altura de Rondon do Pará, ao trecho já existente da ferrovia Norte-Sul, de modo que as cargas também possam acessar o centro/sul do Brasil e vice-versa, formando um grande corredor de integração nacional.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *