0

A Igreja de Santo Alexandre foi o cenário do lançamento da I Bienal da Cultura, idealizada pelo prefeito Edmilson Rodrigues, que sempre foi ligado às letras e artes e concebeu um evento plural, com artistas paraenses, nacionais e internacionais. A programação é tão eclética que vai de Gal Costa e Zeca Baleiro até a aparelhagem Crocodilo e Felipe Cordeiro, passando por grupos folclóricos regionais e escolas de samba. Também haverá rodas de conversas, oficinas, apresentações teatrais e de dança, visitação a museus, oficinas de capacitação, recitais, exposições e shows, entre os dias 20 e 25 de setembro.

O tema é Afirmação de direitos e vai envolver toda a cidade, em mais de 28 espaços, entre eles a Aldeia Cabana, escolas municipais e praças, os oito distritos de Belém, além das ilhas de Cotijuba e Combu.

“No centro dos objetivos estratégicos da prefeitura está a construção da cidadania, sobretudo a cidadania cultural. A arte é a possibilidade do aperfeiçoamento da alma e da afirmação de valores. Nós temos sede e fome de arte. Será a Bienal de todas as artes para todo o povo paraense e artistas brasileiros e até do mundo”, ressaltou Edmilson Rodrigues, durante o lançamento.

Ícone cultural do Pará, a professora Zélia Amador de Deus prestigiou o evento e declarou seu entusiasmo pela iniciativa.  “Quero agradecer à Prefeitura de Belém pela I Bienal de Artes. Belém transpira artes, tem dança, música e teatro, além dos cordões de pássaros e dança de rua”.

“A Bienal visa, principalmente, trazer para a população a diversidade da cultura e da arte da cidade de Belém, em diálogo com a arte nacional e internacional. Durante o mês de setembro nós vamos ter uma espécie de cartografia de arte e cultura”, declarou coordenadora da curadoria da Bienal, Janice Lima.

Já o presidente da Fundação Cultural de Belém (Fumbel), Michel Pinho, informou que, dentro da Bienal, será realizado o IV Festival de Música Brasileira, que este ano homenageará o músico Paulo André Barata. A primeira etapa do festival será entre os dias 15 e 23 de setembro e a fase final durante a programação da Bienal.

Toda a programação detalhada da Bienal pode ser acessada aqui.

Academia Paraense de Jornalismo na Feira Pan-Amazônica do Livro

Anterior

Novo diretor da Seção Judiciária do Pará

Próximo

Você pode gostar

Mais de Notícias

Comentários