Na terça-feira da semana passada (19), quando estava em votação no plenário da Assembleia Legislativa projeto de Indicação de autoria da deputada Professora Nilse Pinheiro transformando o Conselho Estadual de Educação em autarquia, detentora de autonomia deliberativa, financeira e administrativa,…

A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

TRT8 reconhece como jornalistas repórteres cinematográficos

O Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região mais uma vez reafirma sua posição de vanguarda e exara decisão pioneira em todo o País. A Primeira Turma do TRT8 condenou a TV Record Belém a retificar as carteiras de trabalho dos operadores de câmera de unidade portátil externa, bem como os livros de registros de empregados e demais registros a fim de constar a função de “repórter cinematográfico”. Também mandou pagar adicional de 50% sobre a sexta hora trabalhada por constituir hora extraordinária. Os jornalistas eram enquadrados como radialistas e cumpriam jornada de 6h ao invés das 5h que a lei determina. A ação coletiva ajuizada pelo Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará em face da Rádio e Televisão Marajoara Ltda (TV Record Belém) é o primeiro precedente no BrasilOs sindicatos do Ceará, Goiás e São Paulo já haviam ajuizado ação parecida, porém sem sucesso. 

O caso é que 12 empregados da TV Record Belém eram registrados como operadores de câmera de unidade portátil externa, mas efetivamente desempenham a função de repórteres cinematográficos, são vinculados aos telejornais da emissora, e registram fatos e assuntos de interesse notadamente jornalístico.

Para a desembargadora Rosita Nassar, relatora do processo, a ausência de autonomia dos operadores de câmera, alegada pela TV Record Belém, não ficou suficientemente demonstrada. Ao revés, do depoimento da testemunha apresentada pela própria empresa, inferiu que os profissionais tinham certo grau de autonomia, como sair sozinho com o motorista para a captura de imagens, com um release do jornalismo onde ficam definidas as imagens que devem ser capturadas, podendo fazer outras por conta própria, mesmo sem garantia de que entrarão na matéria,  não tendo sido provado de que isso ocorria em situações excepcionais, ainda mais que um deles concorreu ao prêmio da Federação das Indústrias do Pará na categoria Repórter Cinematográfico com matéria veiculada na reclamada, em 2015. Para piorar, o TRT8 achou estranha a afirmação da emissora de TV de
que não tem em seu quadro repórteres cinematográficos. 

Atuou pelo Sinjor-PA o escritório do advogado André Serrão. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *