A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Projeto Minha Escola, Meu Refúgio


Vejam que iniciativa exemplar: o projeto “Minha Escola, Meu Refúgio”, que leva ações do TJE-PA a escolas públicas na prevenção e combate à violência contra crianças e adolescentes, vai visitar a Escola Municipal de Ensino Fundamental Nestor Nonato Lima, no bairro do Jurunas, nesta quinta-feira, 30, às 8h da manhã. Coordenado pela Vara de Crimes contra Crianças e Adolescentes da Capital, cuja titular e idealizadora, a juíza Mônica Maciel, irá acompanhada pela psicóloga Mayra Lopes e pelo promotor de Justiça José Haroldo Carneiro Mattos, o projeto reúne toda a comunidade escolar – inclusive as famílias dos alunos – e mostra casos emblemáticos de violência física, psicológica e sexual contra crianças ou adolescentes, abrindo o debate sobre a forma prática de resolução desses conflitos pela escola, oportunizando aos presentes o relato de casos de violência e o mapeamento das instituições de ensino com maior índice de criminalidade.

O objetivo principal é proteger a criança e o adolescente e garantir o respeito à dignidade da pessoa humana, fomentando a interação e a troca de experiências entre as comarcas do Pará e outros Tribunais. A ideia permite identificar sinais de violência para que sejam tomadas as medidas legais necessárias.  Além das reuniões nas escolas públicas municipais e estaduais, também está prevista a criação de um Fórum permanente de debates, incluindo representantes das Secretarias de Educação municipal (Semec) e Estadual (Seduc) e das próprias escolas, envolvendo, ainda, os agentes de saúde dos postos do Programa Família Saudável, instalados nas comunidades.

É preciso buscar solução para o cenário alarmante de crianças e adolescentes em situação de risco, que consomem e traficam drogas ilícitas e são vítimas de todo tipo de abuso. Uma alternativa é a capacitação e fortalecimento dos conselhos tutelares e o trabalho conjunto de todos os órgãos públicos, tornando mais próxima a relação família-comunidade-escola. 

A Escola de Ensino Fundamental Miguel Pernambuco Filho, também no Jurunas, já foi visitada no dia 29 de agosto e no dia 19 de setembro foi a vez da Escola Municipal de Ensino Fundamental Olga Benário, no bairro de Águas Lindas. Outras duas amplas reuniões do “Minha Escola, Meu Refúgio” aconteceram nos dias 28 de maio e 10 de junho, no Fórum Criminal da Capital, com a participação de cerca de 50 representantes de escolas da rede pública de Belém.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *