O delegado de polícia de Oriximiná, Edmílson Faro, prendeu o vigia Ailton Ferreira da Silva a pedido do presidente da Câmara Municipal, vereador Marcelo Andrade Sarubi (PSDB) e do vereador Márcio Canto (PTB) e, na presença de ambos e do…

Primeira do Brasil totalmente focada na educação para o trânsito, a biblioteca do Detran-PA foi criada em 1998 e começou direcionada ao público interno, funcionando no antigo prédio do órgão, ao lado da Ceasa. Em 1º de novembro de 1999,…

A Prefeitura de Belém vai revitalizar dezesseis imóveis do município que estão há anos em situação de abandono. Além do resgate do patrimônio histórico, artístico e cultural, a intenção é reduzir gastos com aluguéis de prédios que abrigam órgãos municipais.…

A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

Escândalo sexual derruba presidente da CBF


Rogério Langanke Caboclo, que assumiu a presidência da CBF em abril de 2019, aos 46 anos, caiu hoje, diante das gravíssimas acusações de assédio sexual formalizadas, em documento com doze laudas, perante a Comissão de Ética e a Diretoria de Governança e Conformidade por uma cerimonialista que há oito anos trabalha na CBF. A funcionária relatou em detalhes os constrangimentos sofridos em viagens e reuniões com o presidente, na presença de diretores da CBF. A conduta abusiva incluiu pergunta se ela se “masturbava” e a tentativa de forçá-la a comer um biscoito de cachorro, chamando-a de “cadela”. A vítima contou que Caboclo consumia bebidas alcoólicas durante o expediente e ela era obrigada a esconder garrafas no banheiro e recolher as garrafas vazias, além de, em viagens, ter que pedir bebidas alcoólicas para ele nos hotéis e marcar o consumo no quarto dela.

A funcionária também sustenta que Caboclo tentou controlar seus relacionamentos dentro da CBF e até as roupas que vestia. Para escapar ao assédio, ela pediu licença saúde. A situação se tornou evidente a presidentes de clubes e de federações estaduais, dirigentes da CBF e agentes externos com acesso à cúpula da entidade, que notaram o comportamento de Rogério Caboclo “ainda mais errático e agressivo”. Caboclo, então, ofereceu dinheiro para que ela negasse os abusos. Ela recusou e fez a denúncia. Ele nega todas as acusações. 

O vice-presidente mais velho, Antônio Carlos Nunes, assumiu provisoriamente o comando da entidade. Amanhã de manhã haverá uma reunião extraordinária entre os diretores da CBF e os oito vice-presidentes eleitos, no Rio de Janeiro. A tensão é enorme, ainda mais com o atrito entre a comissão técnica e jogadores da seleção brasileira, por conta da Copa América. Jornalista do SporTV vazou que Rogério Caboclo tinha prometido ao presidente Jair Bolsonaro trocar Tite por Renato Gaúcho após o jogo contra o Paraguai, terça, pelas Eliminatórias.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *