Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Decisão vergonhosa

As Câmaras Criminais Reunidas mantiveram em liberdade Regivaldo Pereira Galvão, o Taradão, julgado e condenado por mandar matar a missionária Dorothy Stang. A relatora, desembargadora Maria de Nazaré Gouveia, acreditem – justificou seu voto favorável por entender que haveria constrangimento ilegal por ausência de requisitos autorizadores para a decretação da prisão (!) e presunção da inocência (!). Meu Deus…

A desembargadora Albanira Bemerguy foi a única que não só divergiu da relatora como ressaltou os péssimos antecedentes de Taradãoque jamais poderia, à luz da lei, da doutrina e dos princípios mais caros à aplicação da Justiça, ser agraciado com a liberdade -, e lembrou que o colegiado deveria resguardar o princípio da confiança do juiz, que decretou a prisão do réu, após o julgamento que o condenou a 30 anos de reclusão.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *