0

O PSB no Pará está no meio de uma guerra e o seu presidente estadual, Cássio Andrade, se virando para não ser engolido. Teve que escolher um lado e recentemente seus apadrinhados perderam todos os cargos na Prefeitura de Ananindeua. Hoje seus indicados foram defenestrados dos cargos em Belém, a começar do secretário municipal de Turismo, José Francisco, que nem esquentou a cadeira, e o de Urbanismo, Deivison Alves, além do Administrador Regional de Outeiro, Patrick Oliveira. É que Cássio optou por sua aliança com o governador Helder Barbalho, e assim o prefeito Edmilson Rodrigues seguirá na campanha pela reeleição com o apoio de seu partido, o PSol, e aliado ao PT, PDT, PCdoB, PV e Rede Sustentabilidade. Hoje mesmo Edmilson Rodrigues nomeou Lélio Costa para a Seurb, e Akel Fares para substituí-lo na Codem. Inês Silveira vai acumular a Fumbel e a BelemTur e Franklin Cordovil assumirá a Arout.

Cássio Andrade foi o único dirigente partidário a exigir espaços na gestão de Edmilson como condição para apoiar sua candidatura no segundo turno de 2020. Ele indicou os titulares da Seurb, Arout e BelémTur, que ficaram três anos e meio nos cargos (Zé Francisco assumiu há menos de um mês porque André Cunha vai se candidatar a vereador em Belém). E agora, além da Secretaria de Estado de Esportes e Lazer, Cássio pretende abocanhar a vaga de vice do candidato do PMDB, deputado Igor Normando, ou mais uma secretaria, o que está difícil, para não dizer impossível, já que outras forças querem o mesmo. Igor vai deixar a Secretaria de Articulação da Cidadania no fim deste mês e retomar o seu mandato na Alepa, por causa do prazo para desincompatibilização na lei eleitoral. Torrinho Torres, irmão do prefeito de São Félix do Xingu, que estava na sua vaga, vai voltar a ser suplente e quer ser acolhido no governo.

Ademais, o prefeito de Ananindeua, Dr. Daniel Santos, e sua esposa, a deputada federal Alessandra Haber, criaram um fato político ao divulgarem um encontro em Brasília, ontem à noite, com o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, e o presidente nacional do PSB, Carlos Roberto Siqueira de Barros. O casal está empenhado em detonar Cássio Andrade da presidência da sigla no Pará e ocupar o seu lugar. Nesse caso, perder a Seel seria questão de tempo, já que não existe vácuo no poder. Ai, ai, ai …

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Uma história leva à outra, n° 15

Anterior

Monomotor caiu em Barcarena

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *