0

Foram apreendidos, hoje, 290 metros cúbicos de sucupira, angelim e outras espécies da chamada madeira branca – usada na construção civil. Uma balsa e dois barcos regionais traziam o carregamento ilegal do arquipélago do Marajó (Breves e Muaná) para Belém, numa rota conhecida pela polícia, que mantém lanchas e homens operando na área. As embarcações foram apreendidas por volta de 9 horas pela patrulha fluvial no rio Maguari, distrito de Icoaraci, e estão retidas no porto Matapi, mas a madeira será transportada para local seguro sob reponsabilidade da Sema.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Perda & superação

Anterior

Política fluvial

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *