Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

A guloseima e a saúde

Caros leitores, peço perdão pelo involuntário hiato de dois dias sem postagens. É que uma pequena reunião em família teve consequências catastróficas. Meu sobrinho, que estava hospedado na casa de minha mãe, de passagem em Belém com a mulher e a filhinha, que completava seis meses, comprou uma torta, um pão de rosas, canudinhos e pãezinhos em uma tradicional doceteria (que acaba de alterar o nome) para marcar a data. No dia seguinte, eu, minha mãe, minha irmã, meu sobrinho e a esposa passamos muito mal, com vômitos incessantes que nos deixaram prostrados. A bebezinha teve diarreia e febre. Fiquei tão mal que não conseguia me alimentar, só água e em pequenos goles. Aí, claro, desidratada, não podia me manter de pé e nem sentada. O quadro fez disparar minha pressão e uma enxaqueca terrível, que me impedia até de abrir os olhos. Fui para a emergência da Unimed, tomei soros com medicamentos e muitas injeções e só hoje amanheci melhor, mas com crise na coluna, de tanto ficar deitada. Passei esses dois dias literalmente na cama, sem poder trabalhar, perdi compromissos importantes, não conseguia sequer olhar o celular. Meu sobrinho, que estava com passagens marcadas para o dia seguinte, passou tudo isso com sua família dentro de um avião e perdeu os dois primeiros dias de suas férias. Quando voltar, cobrará responsabilidades da doceteria. Fica o alerta para que tomem cuidado redobrado e não passem por isto.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *