A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

TRE-PA julga caso Mário Couto esta semana

Até o próximo dia 5, todos os casos
pendentes de pedidos de registro eleitoral deverão ser julgados pelo TRE-PA. Um
dos mais polêmicos é o processo n.º 711-21.2014.6.14.0000, do senador
Mário Couto(PSDB), vez que, por algum motivo misterioso, nas certidões emitidas
pelo site do próprio tribunal consta a sua não filiação. O caso ensejou o maior bochicho; as línguas
maledicentes 
logo concluíram que, no auge do conflito no ninho tucano,
o senador, em um rompante de fúria, teria tomado a iniciativa de se desfiliar. Foi tão
grande a muvuca no serpentário político que o
relator, juiz João Batista Vieira dos Anjos, mandou intimar o candidato 
às 19h do último dia 18 (sexta-feira) para suprir a irregularidade apontada e
depois, considerando a hora e data, despachou deferindo o pedido de prorrogação
de prazo para apresentação da prova de filiação partidária. Cumprida afinal a
diligência, o processo recebeu parecer favorável do Procurador Regional
Eleitoral, Alan Mansur, que examinou os documentos juntados pelo PSDB e não
enxergou qualquer irregularidade.
Eis a conclusão de seu parecer:
“No que se refere à filiação do
candidato, este comprovou, por meio dos documentos de fls. 57/84, que está
regularmente filiado ao PSDB e que não houve pedido de desfiliação partidária
junto ao partido, tampouco comunicação à 3ª Zona Eleitoral (local de seu
domicílio eleitoral). A situação, portanto, amolda-se à hipótese da súmula 20
do TSE, segundo a qual “a falta do nome do filiado ao partido na lista por este
encaminhada à Justiça Eleitoral, nos termos do art. 19 da Lei 9.096, de
19.9.95, pode ser suprida por outros elementos de prova de oportuna filiação”.
Sendo assim, o Ministério Público Eleitoral manifesta-se pelo DEFERIMENTO do
presente registro de candidatura, desde que também não haja óbice ao
deferimento do Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários – DRAP do PSDB
para este cargo. 
Belém /PA, 23 de julho de 2014. 
ALAN ROGÉRIO MANSUR SILVA

PROCURADOR REGIONAL ELEITORAL.”

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *