O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

SOS Anajás

Em Anajás, no arquipélago do Marajó, dos 24.771 habitantes locais, 21.179 já foram acometidos de malária. Através do Decreto 70/2013, o prefeito declarou situação de emergência no município. Mas – acreditem! – o diretor do departamento de controle de endemias da Sespa, Bernardo Cardoso, diz que o Estado não reconhece a emergência ou calamidade e que não existe motivo para alarme(!).

Qualquer um minimamente informado sobre as condições de abandono e de miséria do Marajó sabe perfeitamente que a malária grassa na região, principalmente em Anajás.  Todos os médicos que conheço e que atuam na área me garantem que mais de 100% da população é vítima da doença. Ou seja: o contágio acontece duas ou mais vezes, quando não leva a óbito. 

Mais do que um drama, a tragédia marajoara, perpetuada pela dificuldade de acesso que impede ações eficazes na prevenção de doenças infecto-contagiosas e endêmicas, não pode continuar a ser negada cruelmente por quem demonstra não ter preparo técnico nem um pingo de sensibilidade para cuidar de tão relevante questão. O governo do Estado precisa agir imediatamente e enfrentar com coragem e determinação o problema, cobrando a imprescindível parceria do governo federal.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *