A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

Em ação civil coletiva do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem, Técnico Duchista, Massagista, Empregados em Hospitais e Casa de Saúde do Estado do Pará, na qual o Ministério Público do Trabalho PA-AP atuou como fiscal da lei, a 2ª Vara…

Sead e Seduc na Marcha de Belém

FOTO: FERNANDO NOBRE
Cerca de 198 mil crianças e adolescentes ainda trabalham de forma ilegal no Estado do Pará, com maior concentração entre os jovens de 15 a 17 anos. No mundo, 168 milhões de crianças têm seu trabalho explorado, o que representa 11% de toda a população infanto-juvenil do planeta. Em todo o Brasil, há 3,1 milhões de trabalhadores nesta faixa etária, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) divulgada em setembro do ano passado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na região Norte, onde chegavam a 24,9% da força de trabalho, houve a maior redução (de 9,6% para 8,2%), nos últimos anos, em razão da forte atuação de órgãos governamentais e de ongs. 

As juízas Vanilza de Sousa Malcher e Zuíla Lima Dutra, coordenadoras da campanha “Cartão Vermelho ao Trabalho Infantil” – iniciativa do Tribunal Superior do Trabalho, com o apoio do TRT8 e 87 parceiros em todo o Pará, incluindo o governo do Estado e a iniciativa privada, além de organismos internacionais, como o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e OIT – Organização Internacional do Trabalho -, reuniram com os secretários de Estado de Educação, Helenilson Pontes, e de Administração, Alice Viana, para discutir e planejar a Marcha de Belém Contra o Trabalho Infantil, no próximo dia 1º de março. A campanha desenvolve, em caráter permanente, diversas ações em prol da erradicação do trabalho infantil e da adequada profissionalização do adolescente, com ênfase na conscientização da sociedade quanto às atividades prioritárias da criança – brincar e estudar -, e a importância de unir esforços pela proteção da infância. 

A Marcha de Belém Contra o Trabalho Infantil consiste em uma caminhada da sociedade, nas ruas de Belém, contra a exploração do trabalho de crianças e adolescentes e pela garantia de uma vida plena de educação, saúde, lazer e amor. A saída será da Escadinha, ao lado da Estação das Docas, às 8:30h, com participação do Arraial do Pavulagem, que fará o arrastão do Peixe-Boi, e chegada à Praça da República, onde haverá ato público, com show de artistas parauaras. 

Seduc e Sead são parceiras da campanha. No encontro, a secretária Alice Viana destacou a importância do combate ao trabalho infantil, e vai ajudar inserindo em todos os contracheques do funcionalismo estadual a mensagem convidando para a Marcha. Ela ouviu o relato da juíza do Trabalho Zuíla Dutra, membro da Comissão Nacional e gestora regional do programa de erradicação do Trabalho Infantil, que elogiou a participação dos órgãos públicos e empresariais. “Quando eu e a juíza Vanilza iniciamos esta campanha, não imaginávamos que tomaria a dimensão que tomou, em face da adesão voluntária de muitos parceiros”

O secretário Helenilson Pontes também vai ajudar na mobilização para o evento, divulgando no site da Seduc, com banners, e através de e-mails às USEs e escolas, incentivando a participação de servidores, professores e estudantes.

O Pro Paz e a Segup também são parceiros da campanha, assim como o próprio governador Simão Jatene, que assinou compromisso, MPE-PA, TJE-PA, MPT, OAB-PA, Atep-PA, SRTE-PA, Sinait, Fiepa, CIP, Sesi, Fecomércio, os clubes de futebol Remo, Paysandu, Tuna, São Francisco, São Raimundo e Tapajós, EJUD8, Amatra8, além de prefeituras e entidades do movimento social, entre outros, como este blog. Participem vocês também! Deem cartão vermelho ao trabalho infantil!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *