Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

Equipes da Divisão de Homicídios e da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos estavam monitorando há um mês o grupo criminoso que planejava roubar em torno de R$ 1 milhão no caixa eletrônico do Banpará localizado dentro do Hospital…

Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

Reunião tentará resolver impasse

Foi marcada reunião emergencial para esta quarta-feira, 25, às 10h, entre a Arcon, usuários, operadores de serviços e o MPE-PA a fim de tentar resolver o impasse em relação à travessia de balsa para o Marajó. O coordenador do Grupo Especial de Atuação em Transporte (Geat), procurador de Justiça Nelson Medrado, desde o último dia 12 já tinha discutido proposições junto ao fórum de regulação permanente do transporte intermunicipal de passageiros do Estado do Pará, que congrega órgãos fiscalizadores, no sentido de aperfeiçoar a fiscalização e o controle do sistema de transporte de passageiros no modal hidroviário, especialmente, entre a localidade de Camará e o município de Salvaterra, no arquipélago marajoara. 

No final de maio, fiscalização conjunta do MPE-PA, Grupamento Fluvial da Segup, Semob, Arcon-PA, CPH e Ahimor (Administração das Hidrovias da Amazônia Oriental) observou e identificou pontos que precisam de ações emergenciais e permanentes para aprimorar a travessia Belém-Camará-Soure. O procurador Nelson Medrado pediu providências quanto às condições no navio “Otávio Oliva”, da Rodofluvial Banav Ltda., que está em péssimas condições, e ao cais flutuante, que não permite acesso para pessoas portadoras de necessidades especiais. Medrado observou também que o prédio e as instalações do Porto Hidroviário do Camará pertencem ao Estado do Pará mas estão cedidos às três empresas que fazem o transporte de carros e passageiros pelo local: Rodofluvial Banav Ltda., Arapari Navegação Ltda. e Henvil Transportes Ltda. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *