A 27ª Unidade de Conservação do Estado do Pará abrange os municípios de Jacareacanga e Novo Progresso, no sudoeste paraense. O Decreto nº 1.944/2021 foi assinado pelo governador Helder Barbalho na quinta-feira, 21, e publicado ontem (22) no Diário Oficial…

O Atlas da Dívida dos Estados Brasileiros, lançado no Fórum Internacional Tributário pela Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, aponta que a dívida ativa das empresas com os entes federados soma estratosféricos R$ 896,2 bilhões, significando 13,18% do PIB…

Ao abrir oficialmente o Forma Alepa/Elepa, o presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, destacou a importância do trabalho que vem sendo executado pela Escola do Legislativo, treinando, qualificando e atualizando gestores, vereadores e servidores públicos, que dessa forma…

Em Itupiranga, força-tarefa do Ministério Público do Trabalho no Pará e Amapá, Auditoria Fiscal do Trabalho, Defensoria Pública da União e Polícia Federal resgatou sete trabalhadores em condições análogas às de escravos, em duas fazendas no sudeste paraense, e prendeu…

Profissionalismo e solidariedade na estreia de Don Giovanni em São Paulo



Esta me foi contada pela Gabriella Florenzano e eu publico em primeira
mão nacional. Ontem à noite ela foi à estreia da montagem de “Don Giovanni”,
de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), com direção musical do maestro
israelense Yoram David e direção cênica do italiano Pier Francesco Maestrini,
para a temporada do Theatro Municipal de São Paulo, que ontem completou 102
anos.

Assim como Aída, que abriu o Festival, a produção está impecável, mas o
que mais chama a atenção é a concepção de Francesco Maestrini, que fez uma analogia
perfeita com Drácula, transformando o sedutor num vampiro. Ok, Don Giovanni já
é, nas montagens tradicionais, meio macabro, com o Comendador levantando do
túmulo para se vingar, mas com a cena feita o libretto parece ter sido escrito
para a concepção do diretor. A ideia se revelou genial e os cantores
fantásticos.

Mas quem deu um show à parte mesmo foi o cantor lírico Saulo Javan (baixo, ele cantou em Belém, no Festival de Ópera do Theatro da Paz, em Tosca e L’Elisir D’Amore). O Leporello do primeiro elenco, Davide Luciano, estava com a garganta doendo durante todo o dia, mas mesmo assim se forçou a cantar. Resultado: no intervalo ele estava afônico. Vocês imaginam o terror do elenco e da direção! 

Aí, o Saulo Javan, que é do segundo elenco, e assim como todos os outros estavam lá no teatro para prestigiar a estreia – inclusive a parauara Adriane Queiroz -, ao saber da situação topou se arrumar às pressas, sem qualquer preparação prévia (e vocês sabem que não é só subir no palco e cantar como talvez alguns desavisados achem) e interpretar o Leporello no segundo ato. Ah, e ainda tem mais: Saulo estava com o pé machucado, de muletas, mancando, e fez todo o segundo ato correndo e andando normalmente, com todos os trejeitos cômicos do personagem.


E foi incrível! Um gesto de extrema solidariedade e comprometimento com o espetáculo, porque Saulo Javan não é doppione, é de um elenco diferente. Óbvio que ele foi o mais aplaudido.


Baseado em Don Juan, desalmado mulherengo, criado em 1630 por Tirso deMolina, “Don Giovanni” foi a 17ª ópera escrita por Mozart em sua curtíssima vida de 35 anos.
A ópera estreou em Praga, em 1787, e sobre ela o compositor Richard
Strauss, que também foi um dos maiores maestros do século 20, afirmou ser
dificílima e cheia de armadilhas, impossível de ser regida pelo automatismo de
sua sequência musical.
“Don Giovanni”, ambientado na Sevilha do século 17, traz em
dois atos a história de um sedutor que já levou para a cama, só na Espanha,
1.003 mulheres – segundo o catálogo de Leporello, seu criado. Mas ele fracassa
nas duas últimas tentativas. Não consegue seduzir a camponesa Zerlina, nem
Donna Anna, cujo pai, o Comendador, ele mata em duelo e que volta em cena sob a
forma de estátua, para exortá-lo a se arrepender dos pecados. Irredutível, Don
Giovanni é catapultado para o inferno.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *