Na terça-feira da semana passada (19), quando estava em votação no plenário da Assembleia Legislativa projeto de Indicação de autoria da deputada Professora Nilse Pinheiro transformando o Conselho Estadual de Educação em autarquia, detentora de autonomia deliberativa, financeira e administrativa,…

A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

Ex-prefeitos condenados pela Justiça Federal

A Justiça Federal condenou os ex-prefeitos Raimundo Nogueira Filho(Anajás),
Edivaldo Corrêa da Costa(São João de Pirabas), Bernardino de Jesus Ferreira
Ribeiro(Ponta de Pedras) e Elquias Nunes da Silva Monteiro(Portel) pela
utilização irregular de R$ 1,4 milhão em recursos federais repassados aos
municípios, destinados às áreas de saúde, educação e urbanização.
Bernardino de Jesus Ferreira Ribeiro foi
condenado pelo desvio de R$ 641 mil repassados pelo Fundo de Manutenção e
Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de valorização do Magistério (Fundef). A
sentença, da lavra do juiz federal Rafael Lima da Costa, determina
ressarcimento total dos valores, perda de função pública, suspensão de direitos
políticos por seis anos, proibição de contratar com o poder público por cinco
anos e multa no valor de 15% do total desviado.
Considerando
que o réu sequer efetuou a aplicação dos recursos no percentual mínimo exigido,
não obstante tenha recebido recursos para tanto, resta claramente demonstrado o
ato desonesto de pagar aos servidores do magistério municipal remuneração
abaixo do salário mínimo garantido constitucionalmente, a evidenciar que agiu
dolosamente no emprego irregular das verbas do Fundef, bem como por não ter
aplicado o percentual mínimo garantido constitucionalmente à educação
”, fulminou
o magistrado, na sentença.
Elquias Nunes da Silva Monteiro foi condenado
pelo juiz federal José Flávio Fonseca de Oliveira a perda de função pública e à
suspensão dos direitos políticos por cinco anos, prazo em que também ficará
impedido de contratar com o poder público. Restou provado que ele
fracionava despesas para evitar licitações ou realizá-las em modalidades
diferentes das exigidas pela lei, em um montante de R$ 363 mil do Programa
Nacional de Alimentação Escolar.
Edivaldo Corrêa da Costa teve os direitos
políticos suspensos por três anos por não ter prestado contas de R$ 329 mil
repassados pelo Ministério da Integração Nacional, em convênio para obras de
urbanização em São João de Pirabas e construção de muro de arrimo para contenção
de encostas. Ele também foi condenado pelo juiz federal Rafael Lima da
Costa a pagar multa equivalente a dez vezes o último salário que recebeu como prefeito.
E está proibido de contratar com o poder público pelo prazo de três anos, além
de perder a função pública que porventura ocupe.
Raimundo Nogueira Filho foi condenado, juntamente com três
ex-integrantes da comissão de fiscalização de serviços do município, pela juíza
federal  Hind Ghassan Kayath, por improbidade administrativa nas contas
referentes à construção de sistema de abastecimento de água que custou R$ 89
mil, com recursos da Fundação Nacional de Saúde. Todos perderam os
direitos políticos por cinco anos e estão proibidos de contratar com o poder
público e receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de
cinco anos. 
Representaram o MPF nas quatro ações civis
públicas os procuradores da República Daniel César Azeredo Avelino, Felício
Pontes Jr., José Augusto Torres Potiguar e Ubiratan Cazetta.
Quem quiser mais detalhes pode ler a íntegra das
sentenças clicando nos números dos processos:

0006630-42.2003.4.01.3900
(caso São João de Pirabas) – 1ª Vara Federal em Belém
0009676-68.2005.4.01.3900
(caso Ponta de Pedras) – 1ª Vara Federal em Belém
0007945-32.2008.4.01.3900
(caso Portel) – 5ª Vara Federal em Belém
0008798-41.2008.4.01.3900
(caso Anajás) – 2ª Vara Federal em Belém

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *