Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

A prioridade deve ser do mais humilde

A Comissão Justiça e Paz da CNBB Norte
II, que está à frente de todas as providências para proteção  de Graciane Freitas da Silva, a jovem que foi
encarcerada com seis homens pelo delegado de polícia de Chaves, está

alarmada com a distância entre o prometido ontem, durante audiência na
Delegacia Geral, e o que aconteceu hoje. A equipe da Corregedoria da Polícia
Civil, encarregada do PAD que apura a responsabilidade do delegado Edgar
Henrique da Cunha Costa, se deslocou a Chaves para ouvir as testemunhas, mas
não lhes deu preferência, apesar da presença de idosos e crianças. Todos ficaram
o dia inteiro na igreja paroquial, local da oitiva, com fome,  algumas assediadas a trocar de depoimento, e só
começaram a ser ouvidas depois de uma conversa de muitas horas dos delegados com
o juiz. Há denúncias de testemunhas que estão sendo ameaçadas.

Conversei pelo celular com a delegada Nilma Lima, corregedora, que
me garantiu que estava tudo sob controle e que ela e sua equipe também ficaram
o dia todo sem comer. Mas, de fato, não há como justificar essa inversão da
preferência. O juiz certamente podia esperar que as testemunhas fossem ouvidas
para então conversar com os delegados. Até porque o PAD foge à sua competência.


Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *