Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

PM-PA precisa entregar estuprador

A Polícia Militar precisa
divulgar imediatamente o nome do PM que estuprou uma adolescente de 16 anos na
Vila dos Cabanos, em Barcarena, na quinta-feira da semana passada, a fim de que
seja punido com o rigor que merece. Em depoimento, a menina contou que a
polícia recebeu informação anônima de que em sua casa funcionava um
ponto de venda de drogas, e que, na verdade, ela conhecia outro adolescente que
havia discutido com os pais, pedira para ficar na casa dela, e estava lá
comendo quando a polícia chegou, e então fugiu pelos fundos, deixando a mochila
com arma, colete, drogas e R$ 2.400 em espécie. A garota disse que três PMs levaram-na
para local ermo e, enquanto dois ficaram na viatura conferindo o dinheiro encontrado na mochila, o terceiro a levou para o mato e, após algemá-la, a
estuprou. Quando ele retirou as algemas e mandou que se vestisse, ela conseguiu
fugir.
Não há como conseguir uma
cultura de paz se a população não puder confiar na polícia e houver na corporação
indivíduos praticantes de crime hediondo. Não há qualquer dificuldade para
identificar tal elemento, ele estava acompanhado e também existe a lista diária do plantão. Quando alguém fere um PM em
segundos é identificado. Por que tal eficiência não se verifica quando o
agressor está na instituição?! Além disso, consta que a delegada Kézia, de
Barcarena, teria ido à casa da adolescente juntamente com os policiais, e é
preciso apurar em que circunstâncias permitiu que a menor fosse levada pelos
PMs.

É inaceitável que a adolescente estuprada, assim
como tantas outras crianças que têm sua infância roubada, fique refém do medo e não possa voltar para seu
lar e sua família porque o estuprador está à solta, impune. Não se pode calar
diante de tal situação medonha. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *