Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Penas superam 200 anos no caso Zumbi

O juiz federal Rubens Rollo D’Oliveira, da 3ª Vara Federal de Belém do Pará, condenou 19 pessoas por fraudes na concessão de benefícios previdenciários numa agência do INSS no município de Castanhal (PA). O total das penas ultrapassa 200 anos de prisão. O processo tem origem na Operação Zumbi, da Polícia Federal, Ministério Público Federal e INSS, que apurou os prejuízos da ordem de R$6 milhões. Em sentença de 313 laudas, o magistrado julgou de uma vez só todos os denunciados, que figuravam como réus em 11 processos. Ainda cabe recurso ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região, com sede em Brasília (DF). 

A pena mais alta, de 29 anos e sete meses de reclusão, foi imposta à servidora do INSS Maria Cícera da Silva Brito, acusada pelo MPF de reativar benefícios de pessoas falecidas, com base em relatórios enviados pela Dataprev. De acordo com a denúncia, ela inseria no sistema informatizado do INSS dados falsos, cadastrando procuradores fictícios, com o que emitia cartões e realizava saques dos benefícios. Condutas semelhantes eram adotadas pelos outros integrantes da quadrilha. 

“A Previdência Social não é um “balcão de negócios”, é um órgão com funções sociais relevantes, quais sejam, de proporcionar benefícios previdenciários e assistenciais à população brasileira. O déficit historicamente apresentado pela Previdência Social repercute na adoção de políticas restritivas do direito de aposentadoria e demais benefícios previdenciários. E grande parcela desse déficit decorre de fraudes como as perpetradas pela acusada”, sentenciou o juiz.
 
Também foram condenadas Eleonor Cunha de Oliveira, Ana Maria de Brito e Maria Rosimary da Silva Brito, cada uma a 16 anos e 8 meses de reclusão. José Neri de Brito Filho recebeu a pena de 13 anos e 10 meses. Rui Amaro de Assis Júnior, Alba Maria Teles Saraiva e Luís Antônio Sirilo da Silva foram sentenciados a 11 anos e 8 meses cada. A pena para Maria Helena da Silva Cunha e Elizabete Marques Damasceno foi de 10 anos e 8 meses. Maria Ivete da Silva Brito, Carlos Afonso Saraiva de Oliveira, Rute Helena Assunção de Lima, Maria Diomar Lima da Silva e Marinalva Ferreira Pontes foram punidos, cada um, com 9 anos e 8 meses de cadeia. A Lauro Joaquim de Oliveira Júnior e Ernandes da Silva Oliveira coube 9 anos e 4 meses de reclusão. As penas menores foram aplicadas a Ellen Frederica Saraiva Nascimento (7 anos e 9 meses) e Maria Silde Correia Saraiva (7 anos). Dois réus foram absolvidos e uma outra ré teve a punibilidade extinta porque faleceu durante a tramitação do processo. 

As servidoras públicas Maria Cícera da Silva Brito, Eleonor Cunha de Oliveira e Elizabete Marques Damasceno também perderam o cargo. Foi decretado o perdimento, em favor da União, de vários bens que pertenciam aos acusados e tinham sido apreendidos pela PF durante a Operação Zumbi, entre eles dinheiro em espécie, veículos (caminhões e um carro de luxo BMW), pedras preciosas, equipamentos de informática, armas e munições, telefones celulares e até uma fazenda.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *