Nesta terça-feira (29) a presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento, inaugura a sala da Ouvidoria da Mulher, espaço para sugestões, reclamações e denúncias relativas à violência contra à mulher, direitos políticos e à igualdade…

A praça do Mascate, na esquina da Av. Visconde de Souza Franco (Doca) com a Trav. Antônio Barreto, no bairro do Reduto, está sendo transformada em Praça Pet, espaço de lazer para os moradores e animais de estimação. O local…

Foi aberto ontem (25) um novo retorno para veículos no Km 08 da BR-316, perto de uma loja de peças de motos no sentido entrada de Belém, e em frente à Escola Raimundo Vera Cruz, no sentido de saída da…

A construção do muro de arrimo e urbanização da orla da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, avança ao longo de 1.200 metros de extensão. Gerenciadas pelo Governo do Pará, via Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, já foram executadas as…

PARCERIA ENTRE FCG E ESCOLA WILSON FONSECA

Foi publicado nesta terça-feira, 1º de julho, no Diário Oficial do Estado, o convênio de cooperação técnica firmado entre a Fundação Carlos Gomes e a Associação de Pais e Amigos da Escola de Música Maestro Wilson Fonseca, do município de Santarém, no oeste do Pará. O documento irá possibilitar a implantação do Curso Regular de Cordas no município. O objetivo da parceria é fomentar políticas públicas de inclusão social de crianças, adolescentes e jovens de vários bairros de Santarém e, futuramente, criar uma orquestra sinfônica na cidade.

O convênio celebrado em Belém só foi possível graças ao decreto do governador Simão Jatene, que tornou de utilidade pública a Associação de Pais e Alunos da escola de Música Maestro Wilson Fonseca. A duração do convênio vai até junho de 2016.

A Escola de Música Wilson Fonseca é referência e um dos mais importantes patrimônios culturais de Santarém. Há mais de 20 anos a Escola desenvolve atividades sem fins lucrativos em prol de crianças, adolescentes e jovens do município. Atualmente, são atendidos aproximadamente mil alunos em mais de 20 cursos.

Ao longo desses anos, a escola vem atuando na formação de cantores, professores, regentes, corais, bandas e orquestras. O maestro Agostinho Fonseca, que dirige a entidade, disse que o convênio com a Fundação Carlos Gomes possibilitará que sejam oferecidos cursos de violino, viola, violoncelo e contrabaixo e a futura criação da Orquestra de Cordas.

A Fundação Carlos Gomes é incentivadora da difusão musical em mais de 30 municípios paraenses, onde atua no resgate das bandas de música e na criação de escolas de música. Através de seu corpo técnico pedagógico, a FCG leva orientações e capacitação para professores e alunos. É atribuição da Fundação monitorar, supervisionar, avaliar e fiscalizar o convênio, realizando vistorias para que ele seja cumprido.

O convênio de cooperação técnica visa dar suporte à execução dos cursos, em nível técnico, de instrumento e canto, seguindo a programação pedagógica dos institutos de música em todo o país, a exemplo do Instituto Estadual Carlos Gomes (IECG), no Pará.

De acordo com o superintendente da FCG, Paulo José Campos de Melo, a tendência é padronizar o ensino para que, posteriormente, os interessados possam prosseguir seus estudos em qualquer universidade do país e, assim concorrer às vagas em bandas sinfônicas e outros conjuntos musicais. “O curso de Cordas é uma das etapas desse processo. É um anseio antigo de Santarém e da Escola de Música Wilson Fonseca e desde 2012 estamos tentando implementar o curso. Existe uma dificuldade natural para a execução dos cursos de cordas na região amazônica, pela escassez de recursos humanos qualificados e, estes cursos, depois de iniciados, contarão com as parcerias nacionais da FCG, para que Santarém possa ter resultados mais imediatos”, explicou Paulo Melo.

O superintendente avalia como positiva a criação de uma Orquestra Sinfônica em Santarém e acredita que é fruto do trabalho realizado pela FCG no interior do Estado. O Projeto de Interiorização da FCG existe desde 1991 e Santarém foi uma das primeiras cidades incluídas no projeto, que até 2006 alcançou 90 municípios paraenses. “A criação de uma Orquestra Sinfônica é sempre um acontecimento que mostra o grau de desenvolvimento musical de cada região. Graças ao nível musical que o Pará vem apresentando para o Brasil e o reconhecimento que estamos vivenciando, e que nos aproxima mais dos grandes centros, as perspectivas de facilidades para criação de Orquestras em diversos municípios são mais animadoras, pois poucos Estados Brasileiros têm hoje em dia o mesmo grau de investimentos públicos na área da educação musical, que o Estado do Pará”.

Fonte: Rosa Cardoso

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *