O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, convocou e empossou Torrinho Torres, primeiro suplente do Podemos, na vaga do deputado Igor Normando, que está licenciado para exercer o cargo de secretário de Estado de Articulação da Cidadania. O novo parlamentar…

Reconhecimento máximo da Associação Paulista de Críticos de Artes a obras de Literatura, Música popular, Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Rádio, Teatro, Teatro Infantojuvenil e Televisão, o Prêmio IPCA, anunciado na segunda-feira, 6/2, contemplou o livro de contos “Eu já…

A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Operação Frota Virtual

A Receita Federal, o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e a Secretaria da Fazenda do Estado do Pará cumpriram ontem, na Operação Frota Virtual, deflagrada simultaneamente em Manaus(AM), Macapá(AP), Belém(PA) e São Paulo(SP) 12 mandados de busca e apreensão em endereços comerciais e 1 em endereço residencial, além de 11 mandados de condução coercitiva de pessoas acusadas da prática de crimes contra a ordem tributária, falsidade ideológica, interposição fraudulenta na constituição de empresas e uso de documentos falsos, cujos nomes não foram revelados. Segundo o MPF, tratava-se de uma quadrilha interestadual, desarticulada com a prisão de vários comerciantes envolvidos na compra e aluguel de carros no Amazonas, Pará e Amapá, que se aproveitavam dos benefícios fiscais para adquirir os automóveis, mas desviavam a sua finalidade, burlando as normas fiscais desses Estados. O esquema era simples: empresas locadoras de veículos instaladas na Zona Franca de Manaus e Área de Livre Comércio de Macapá e Santana, utilizando incentivos fiscais da redução a zero das alíquotas do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS), adquiriam veículos e os desviavam, especificamente para o Estado do Pará.
A partir do não pagamento dos tributos exigíveis com a comercialização dos veículos fora das áreas especiais e da utilização de artifícios fraudulentos, como a constituição de empresas de fachada, os envolvidos conseguiam vender os automóveis a preços inferiores aos do mercado local.
A estimativa da Receita Federal é de que o prejuízo aos cofres públicos alcance R$ 20 milhões, só em tributos federais sonegados. Participaram da operação 25 servidores da Receita, 6 servidores da Sefa e 70 da Polícia Federal.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *