Barcos regionais a motor, veleiros, vigilengas, rabetas, bajaras, canoas ubás, igarités, catraias, botes fazem parte da memória afetiva, produtiva e econômica parauara, navegando pelo oceano Atlântico, baías, rios que mais parecem mares, lagos, igarapés, furos, estreitos, igapós e campos alagados…

Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

O velho círculo vicioso

O Ministério dos Transportes/Dnit diz que agora vai ser lançado o edital de licitação para o derrocamento do pedral do Lourenço, que os recursos estão no PAC e que a obra inicia em…2016. Justo o ano em que o próprio governo federal já admitiu que antes de começar tem um rombo de R$30,5 bilhões no Orçamento Geral da União. Hehe… Nos últimos 5 anos vimos, ouvimos e lemos essa informação incontáveis vezes. E nada aconteceu. Para o fim de 2015 faltam menos de quatro meses. Mas para o começo dessa obra de Santa Engrácia, só Deus sabe. É lamentável. Em todo o mundo, as cargas são transportadas via hidroviária, muito mais barata, com muito menos riscos de acidentes, menos poluição e maior eficácia. No Brasil e em plena Amazônia, o que poderia ser, mais do que um corredor para escoar a produção, um eixo de integração de importância estratégica  nacional é relegado a último plano. E ninguém faz algo efetivo para mudar essa situação desoladora. Todo mundo finge que acredita nas promessas e assim os anos vão passando e o povo continua em um beco sem saída. Não tem emprego nem renda porque não há investimento e a roubalheira é demais.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *