Os dirigentes do Sindicato e da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa festejaram o resultado da reunião de hoje com o presidente da Alepa, deputado Chicão, que também convidou para o encontro o Chefe de Gabinete da Presidência, Reginaldo Marques…

A Administração Superior do Ministério Público do Pará está empenhada em fortalecer a atuação dos promotores de justiça no arquipélago do Marajó, onde a situação de extrema pobreza, agravada pela pandemia, perpetua crimes gravíssimos como os abusos e exploração sexual…

“A Prefeitura de Belém, por meio da Comissão de Defesa Civil de Belém, informa que realizou vistoria técnica no bloco B do imóvel localizado na avenida Presidente Vargas, 762, no dia 11 de fevereiro, às 9h, em conjunto com representantes…

DEM e PSL ainda nem consumaram a fusão, prevista para outubro deste ano, mas a briga já é de foice. O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto duelam nos bastidores pelo comando do novo…

O esquecido dono da OS IDESMA

 
O promotor de justiça Sávio Brabo de Araújo já ajuizou mais de mil ações, só este ano, pela falta de prestação de contas das entidades do terceiro setor no Pará. Desde 2009 ele investiga a Organização Social Idesma, que administra o Hospital Regional do Araguaia, em Redenção, e já administrou o Hospital Metropolitano de Belém. Em breve, ele divulgará o resultado em nota técnica.
 
A propósito, o ex-deputado Luiz Afonso Sefer, que me processa por escrever a verdade, entre outros fatos que é dono da OS Idesma, esquece que ele mesmo publicou ter criado e ser proprietário da OS, em página que criou para sua campanha eleitoral de 2010, em postagem na qual se encarrega de destruir a reputação da menor SB, vítima no processo criminal a que responde por estupro de criança de 9 anos em sua casa. Ele tirou do ar o site www.averdadesobresefer.com.br, mas o seu conteúdo está devidamente salvo. Esquecido que só, é bom ele refrescar a memória, nesse print, que, por sinal, juntei aos autos.   Confiram.
 
Ah! No dia da audiência, que como não houve conciliação foi transferida para o dia 29.05.2014, às 10h, Sefer reclamou (na ausência dela) da juíza da 10ª Vara do Juizado Especial Cível, dizendo que a morosidade do Judiciário faz até perder a vontade de exercer os direitos. Todos os presentes são testemunhas. Estranho. Por que será que ele não pede para seus advogados agilizarem o processo criminal a que responde, e que se arrasta há anos? A sociedade paraense agradeceria! Aliás, não há óbice para que a sua ação contra mim tenha a audiência antecipada, se a magistrada assim o decidir. Quem não deve não teme. Eu nada devo nem temo.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *