Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Batizada de sagui-de-Schneider (Mico schneideri), em homenagem ao pesquisador brasileiro Horácio Schneider (1948-2018), geneticista da Universidade Federal do Pará e pioneiro da filogenética molecular de primatas, a descoberta alvoroçou a comunidade científica internacional. A nova espécie de sagui amazônico do…

Nascido para mandar

A campanha eleitoral envolve cifras estupendas. Corre à boca pequena nos arraiais políticos que há candidato a deputado estadual gastando R$10 milhões para se eleger. Naturalmente, esses valores não estão declarados ao TRE-PA, muito menos suas origens. Cá para nós e o povo que acompanha o Círio de Nazaré, quem tem tanto dinheiro assim disponível para jogar fora, por que será que quer tanto um mandato? Mistério sempre há de pintar por aí…

O horário eleitoral gratuito é de dar medo. Uma verdadeira sessão de tortura. Como acreditar em cidadania ante o desfile de candidatos nitidamente despreparados, alguns ingenuamente manipulados pelos partidos para garantir o preenchimento de requisitos e outros astutamente de olho no público para garantir o privado?

As pesquisas eleitorais para os mandatos proporcionais, aliás, são uma tremenda furada. É que as amostras não representam a realidade, quando sabemos que há redutos de candidatos em que a votação maciça pode desfigurar completamente o cenário desenhado nesses levantamentos. Em um Estado continental como o Pará, então…


Não
sei por que lembrei de Fernando Pessoa:
Os
homens dividem-se, na vida prática, em três categorias – os que nasceram para
mandar, os que nasceram para obedecer, e os que não nasceram nem para uma coisa
nem para outra. Estes últimos julgam sempre que nasceram para mandar; julgam-no
mesmo mais frequentemente que os que efetivamente nasceram para o mando.
A
característica principal do homem que nasceu para mandar é que sabe mandar em
si mesmo. A característica distintiva do homem que nasceu para obedecer é que
sabe mandar só nos outros, sabendo obedecer também. O homem que não nasceu nem
para uma coisa nem para outra distingue-se por saber mandar nos outros mas não
saber obedecer.

O
homem que nasceu para mandar é o homem que impõe deveres a si mesmo. O homem
que nasceu para obedecer é incapaz de se impor deveres, mas é capaz de executar
os deveres que lhe são impostos (seja por superiores, seja por fórmulas
sociais), e de transmitir aos outros a sua obediência; manda, não porque mande,
mas porque é um transmissor de obediência. O homem que não nasceu nem para
mandar nem para obedecer sabe só mandar, mas como nem manda por índole nem por
transmissão de obediência, só é obedecido por qualquer circunstância externa –
o cargo que exerce, a posição social que ocupa, a fortuna que tem..
.” (in “Teoria
e Prática do Comércio”).

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *