Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

MPE denuncia 11 em Juruti

O Ministério Público Estadual denunciou onze envolvidos na operação Suplício de Tântalos, deflagrada em 22 de dezembro de 2017, que na época resultou na prisão de oito pessoas, incluindo servidores públicos, por desvio de combustível destinado à usina termoelétrica de Juruti Velho, distrito de Juruti(PA). 

O caso é que a prefeitura, via Secretaria Municipal de Infraestrutura, envia, mensalmente, 30 mil litros de combustível para alimentar o gerador e assim oferecer energia de forma gratuita. Mas, conforme o promotor de justiça Rafael Trevisan Dal Bem apurou, de janeiro a outubro de 2017 o combustível foi desviado. O secretário de Infraestrutura Sebastião Batista Soares assinava requisições de combustível ao posto contratado, especificando a quantidade a ser fornecida e outras informações. Quando a embarcação aportasse na comunidade de Juruti-Velho, a subprefeita Odenilce Barroso Bruce deveria conferir a quantidade. Mas não era feita qualquer conferência, e a quantidade era sempre inferior à enviada. 

Entre janeiro e maio de 2017, o transporte ficou sob a responsabilidade de Marisson Garcia Batista, atual presidente da Câmara Municipal de Juruti e dono das embarcações Tio Reco e Thor, cuja contratação se deu de maneira informal e direta, sem licitação ou processo de dispensa. 

Depois, o combustível passou a ser transportado pela embarcação de Enock da Mota Batista, gerente do Pontão do Davi, e Aldalena da Gama Farias Batista, esposa de Enock e também proprietária da embarcação “Comandante Mota”. 

Conforme o MP, a subprefeita vendia o combustível a terceiros e embolsava o dinheiro. Também contratou diretamente os serviços de Idelcifran Ferreira de Souza, vulgo Tábua, para a realização da limpeza pública em Juruti-Velho, e lhe entregava a título de pagamento, além de valor em dinheiro, 50 litros de combustível por diária. 

Por causa do desvio, a usina não funcionava regularmente, prejudicando a população local, que ficava literalmente no apagão. A subprefeita Odenilce Barroso começou, então, a cobrar o fornecimento de energia elétrica, inclusive com corte em caso do não pagamento. As cobranças rendiam aproximadamente R$ 15 mil mensais, utilizados sem controle ou prestação de contas. Claudinei da Silva Lima, assessor, tinha função de negociar e vender o combustível da Secretaria de Infraestrutura. Alberto Santarém Magalhães, companheiro da subprefeita, prestava auxílio material nas práticas delituosas. Ruberlon Rodrigues do Amaral, assessor, em pelo menos três vezes acompanhou o transporte de combustível até a comunidade. Suelen Siqueira Batista, chefe de gabinete da Secretaria, era com quem Odenilce tratava as situações envolvendo Juruti Velho. Thalia Queiroz de Souza, servidora temporária da subprefeitura de Juruti-Velho, emitia recibos pelos valores recolhidos pelos comunitários para abastecer a usina.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *