Hoje a Assembleia Legislativa do Pará retomou seus trabalhos no segundo período legislativo do terceiro ano da da 19ª Legislatura, de forma totalmente presencial, apesar da reforma do prédio sede do Palácio Cabanagem e do próprio plenário Newton Miranda. Após…

Em visita oficial, a Academia Paraense de Jornalismo e a Comissão de Defesa do Patrimônio Histórico do Instituto Histórico e Geográfico do Pará pediu ao prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, o veto à alteração dos nomes da Rua da Municipalidade…

O IV Distrito Naval da Marinha do Brasil, em parceria com o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Praticagem da Barra do Pará, Sociedade Amigos da Marinha Pará, Secretarias de Saúde de Barcarena e do Estado do Pará, Tribunal…

Guy Veloso, filho do saudoso jurista, notário e político Zeno Veloso, plantou em sua memória um pé de baobá na Universidade Federal do Pará, onde o ilustre parauara se destacou como professor de direito civil e direito constitucional, formando gerações…

MP de olho no Mutirão da Economia

O procurador regional eleitoral Alan Mansur enviou recomendação à Celpa no sentido de que as ações do Mutirão da Economia – o programa de eficiência energética que a empresa é obrigada por lei a promover e que prevê a troca de geladeiras em péssimo estado de conservação por novas e de lâmpadas incandescentes por fluorescentes – não enveredem na trilha da campanha eleitoral. É que, pela legislação do setor, as permissionárias e concessionárias do serviço público de distribuição de energia elétrica são obrigadas a aplicar percentuais mínimos de suas receitas para a entrega de bens com maior eficiência de consumo para unidades consumidoras que paguem a tarifa social, e a PRE recebeu denúncias de que candidatos estariam tentando utilizar a distribuição do Mutirão da Economia para obter vantagens eleitorais. Como se sabe, é proibido o uso promocional em campanhas eleitorais de programas de distribuição gratuita de bens e serviços de caráter social custeados ou subvencionados pelo poder público.
O programa da Celpa alcança não só a região metropolitana de Belém, maior colégio eleitoral do Pará, como também os municípios de Abaetetuba, Altamira, Bragança, Barcarena, Benevides, Cametá, Castanhal, Capanema, Marabá, Moju, Paragominas, Parauapebas, Santarém e Tucuruí. 

No documento, o procurador da República Alan Mansur recomenda à presidência da Celpa que informe imediatamente se houver qualquer movimentação de militantes de coligações eleitorais nos locais de entrega.
E que envie em 48h informações sobre o cronograma e locais de entrega de bens no Mutirão da Economia durante o período da campanha eleitoral, para fiscalização mais rigorosa pelo MP Eleitoral. 

Leiam aqui a íntegra da recomendação.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *