Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Mobilização contra o trabalho infantil


A Constituição Federal proclama: criança não trabalha, tem prioridade de tratamento, cuidado e proteção integral da família, da sociedade e, principalmente, do Estado. Entretanto, cerca de 3,5 milhões de crianças e jovens brasileiros entre cinco e 14 anos trabalham. Uma vergonha. Enquanto o Estado, a sociedade e a família não cumprem o seu dever, o trabalho infantil rouba infâncias, alegrias e as chances de educação de milhares de meninos e meninas. Inviabiliza, na maioria das vezes, a própria cidadania e causa perdas de vidas. 

Neste domingo, dia 28, ao meio-dia, na Praça da República, um ato público liderado pelas juízas do Trabalho Zuíla Lima Dutra, membro da Comissão Nacional de Combate ao Trabalho Infantil e gestora regional, Vanilza Malcher, também gestora regional, e Claudine Rodrigues, presidente da Amatra8, vai esclarecer dúvidas, distribuir cartilhas sobre o tema e panfletos contendo dez razões pelas quais a criança não deve trabalhar, além de cata-ventos às crianças que comparecerem ao evento. O projeto já ganhou a adesão do TJE-PA, Associação dos Magistrados Trabalhistas (Amatra8); Escola Judicial da 8ª Região (Ejud8); Clube do Remo; Paysandu Esporte Club; Federação Paraense de Futebol; Ministério Público do Trabalho; MPE-PA; Ministério do Trabalho e Emprego-SRTE/PA; OAB-PA; Associação dos Advogados Trabalhistas do Estado do Pará (ATEP); Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho; Governo do Estado (via Segup); Fecomércio, Fiepa, Faepa, Associação Comercial do Pará e Vitrine Ltda., e todos estarão presentes à manifestação. O juiz Cláudio Rendeiro vai caracterizado com o seu personagem humorístico Epaminondas Gustavo, que se  apresentará ao público, com mensagens educativas.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *