Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Memória, Anistia e Direitos Humanos do Araguaia

Começa amanhã às 15h, na Câmara Municipal de Marabá, o 1º Seminário Nacional de Memória, Anistia e Direitos Humanos do Araguaia, promovido pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, Instituto Paulo Fonteles de Direitos Humanos, Fundação Maurício Grabois e parceiros ligados à área de direitos humanos no âmbito nacional, estadual e local, como a Associação dos Torturados da Guerrilha do Araguaia, a Comissão da Verdade do Pará, o Amazém Memória (SP), Ministério Público Federal, Assembleia Legislativa do Pará, Comissão de Anistia, Comissão Pastoral da Terra, Universidade Estadual do Pará (UEPA), lideranças indígenas e políticas. Às 19h, haverá um ato público em memória aos 45 anos da Guerrilha do Araguaia. O presidente da Alepa, deputado Márcio Miranda, e o presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputado Carlos Bordalo, estarão presentes.


Durante os dois dias de programação, os temas envolverão os desaparecidos políticos do Araguaia, com a participação de diversos professores da Unifesspa, que vai apresentar um estudo acerca do valor histórico, documental e arquitetônico da “Casa Azul”, centro clandestino de tortura e morte na época da ditadura militar, justificando o pedido de tombamento do prédio ao Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan). Situado às margens da  Transamazônica, conforme denúncia publicada no Volume I do Relatório da Comissão Nacional da Verdade, lá foram assassinadas mais de 30 pessoas


As inscrições poderão ser feitas no local do evento. Confiram no folder a programação.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *