Na terça-feira da semana passada (19), quando estava em votação no plenário da Assembleia Legislativa projeto de Indicação de autoria da deputada Professora Nilse Pinheiro transformando o Conselho Estadual de Educação em autarquia, detentora de autonomia deliberativa, financeira e administrativa,…

A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

Manhas & artimanhas da política

O deputado Gesmar Costa(PSD) estreou hoje na sessão solene da Assembleia Legislativa. Ocupa o assento do deputado Tião Miranda(PTB), que agora é prefeito de Marabá. Ele é alinhado à base governista. 

Já a deputada Ana Cunha(PSDB) pediu licença à Alepa e vai tomar posse, segunda-feira, na Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, conforme publiquei em primeira mão ainda em 30 de novembro do ano passado, no post Engenharia política no Executivo e Legislativo. Em seu lugar deve assumir o ex-vice governador e ex-secretário de Estado Hildegardo Nunes. 

Mazinho Salomão, prefeito de Afuá, foi convocado pela Assembleia na condição de primeiro suplente, em obediência ao regimento interno, e vem criando expectativa quanto à decisão de aceitar a vaga. Há quem diga que logicamente preferirá ser deputado estadual a gestor de uma pequena cidade marajoara. Nem tudo, porém, é o que parece. De frisar ser no mínimo arriscada a ideia de trocar 4 anos de mandato conquistado nas urnas por uma vaga na Alepa que pode durar dias, dependendo dos humores de terceiros e, o que é pior, sem volta. É que, para virar deputado estadual, Mazinho obrigatoriamente terá que renunciar à prefeitura. E se no dia seguinte a deputada Ana Cunha desistir de integrar o poder Executivo ou o governador Simão Jatene entender que precisa reformular o secretariado, Mazinho ficará sem eira nem beira, a ver navios, digo, sem qualquer mandato. Mais: no máximo, em 2018 Ana Cunha voltará ao Legislativo, porque vai precisar se desincompatibilizar para poder se recandidatar. Reza então o bom senso que Mazinho se aquiete onde está e Hildegardo assuma a vaga.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *