Para marcar os quinze anos de criação das Florestas Estaduais de Faro, Trombetas e Paru, da Estação Ecológica Grão-Pará e da Reserva Biológica Maicuru, na Calha Norte, hoje (4), o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) lançou…

Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Livros de Emir Bemergy

 “Maromba”, primeira obra de Emir Bemerguy
editada após a sua morte, será lançada na próxima terça, 18, como parte das
comemorações pelo aniversário de Santarém, no hall do Sesc, na rua Floriano
Peixoto, a partir das 19h. Na mesma noite, será lançado o livro “Pescador de
almas e de tucunarés”, pelo Instituto Boanerges Sena, que traz uma entrevista com
o poeta feita por Cristóvam Sena, na qual Emir narra fatos de sua vida e de
Santarém. O prefácio é do jornalista Paulo Bemerguy, sobrinho de Emir.
“Maromba” é a única obra de ficção escrita pelo poeta santareno
Emir Bemerguy, morto em novembro de 2012, que concluiu o livro em 1975 e assim
definiu a própria obra: “Mais do que um inconsequente romance regionalista,
esse livro representa uma espécie de depoimento romanceado”.
O título descreve a construção típica da época de cheia nos rios
amazônicos, quando a água invade a casa e é necessário levantar o assoalho. A
maromba é feita tanto na casa quanto no curral.  Os 26 capítulos levarão o leitor
a ingressar no universo amazônico, por meio da vida dos personagens fictícios
Antônio Presidente e Maria Flor, casal de ribeirinhos, donos da fazenda
“Apuizeiro”, localizada na margem direita do rio Amazonas,  “abaixo do Paricatuba, no
município de Santarém”.
Emir Bemerguy deixou prontos para publicação cerca de vinte
livros, que incluem toda a sua obra poética, com quase 700 poemas, memórias,
diários, correspondências e crônicas. Para a família, este é um momento muito
especial: o livro era um dos preferidos do poeta. Em vida, foram editados
quatro livros de Emir, dois deles pelo Instituto Boanerges Sena. O poeta também
é autor de composições musicais em parceria com o maestro Wilson Fonseca, o
Isoca.  
Vejam
a programação completa do aniversário de Santarém aqui.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *